Terror Espirito-santense – Foto arte: Marcelo Moryan

O Estado do Espírito Santo, infelizmente, tornou-se o estado das crisES, uma consorte da outra, em alguns casos, irmãs siamesas – de todos os vieses. Uma, porém se destaca, a CRISE DA LIBERDADE. Sim, crise “da Liberdade” e não “da Segurança” – afinal, há muito, muito, muitíssimo tempo já não nos sentimos seguros em nosso direito de ir e vir.

O que nos Ensina este CAOS espírito-santense? Certamente muitas lições, mas nenhuma se iguala em relevância quando comparada à maior de todas as lições:

É PRECISO RESPEITAR PARA SER RESPEITADO!

O RESPEITO sempre nos adverte em todas as ocasiões e cria um caminho LIVRE para o diálogo. O EXTREMISMO sempre deságua em horizontes de preconceitos e de sangue. No caso espírito-santense a BIRRA, além de tresloucada, trouxe episódios disfarçados da fraqueza humana, diga-se de passagem, fraqueza até certo ponto… e… e… ultrapassamos todos os pontos.

Quando lemos ou ouvimos sobre arrastões, saques e outros eventos oportunistas, imaginamos que seus patrocinadores são exclusivamente BANDIDOS. Não foi este o norte do terror vivido por estes dias pelos capixabas. Em meio às ações de BANDIDOS estavam as ditas “PESSOAS DE BEM”, certamente as aspas que as condenam sugerem que a FALTA DE RESPEITO desses episódios as colocam no mesmo patamar de seus algozes da vida cotidiana, a vida dita “normal” – não há muita diferença entre bandido profissional e bandido de “ocasião”, ambos plantam em si a semente corrupta que os ceifa a dignidade na farta colheita do MAL.

O PANDEMÔNIO ESPÍRITO-SANTENSE vai se render à PAZ? Vai! Aos poucos todos estão caindo na real. E qual é a real?

Qualquer que seja o desfecho desta crise da liberdade, O desrespeito da Polícia Militar para com o povo capixaba ou o desrespeito topetudo do Governo, que desde sempre, na sua maquiada mensagem de austeridade espera ser canonizado… A REAL É QUE PERDEMOS TODOS:

– A PM perde sua legitimidade em exigir RESPEITO – colocou a desordem como escudo para defender seus direitos.

– O Governo Estadual perde o RESPEITO em sua principal função – GOVERNAR… e governar é dialogar. Por falta de diálogo tingiu-se de vermelho sangue, o rosa, equilibrado e harmônico, da bandeira de nosso estado. Entramos para o mapa do Brasil como “terra de ninguém”… e sabemos que na verdade aqui é terra de belezas e povo trabalhador (triste é que só nós, o povo, sabemos disso).

– A sociedade perde o RESPEITO para exigir mudanças… não há como exigir políticas honestas e de igualdade se um simples par de sandálias em uma vitrine quebrada é uma tentação que nos coloca na rota da corrupção.

RESUMINDO: O resultado desta crise para muita gente será outra crise – A CRISE MORAL! 

Deixe seu comentário

Comments are closed.