Além da dívida com fornecedores estimada em oito milhões de reais, a Rede de Supermercados Santo Antônio também informou que tem dívidas trabalhistas que ainda não foram contabilizadas. As informações foram passadas hoje (06/12), em uma coletiva de imprensa, realizada pela família Zouain no Centro de Distribuição em Muquiçaba.

Confira a cobertura ao vivo pela página do Portal 27 no Facebook.

O empresário Jorge Zouain, 78 anos, conhecido na cidade há 54 anos como Jorginho do Santo Antônio, informou que os funcionários já receberam seus pagamentos e está negociando com seus fornecedores. “Nós vamos pagar todo mundo, só não tem prazo”, disse Jorginho.

Diretoria da rede de Supermercado Santo Antônio e advogados em coletiva de imprensa para esclarecer informações. Foto: Rosimara Marinho

O Centro de Distribuição está completamente vazio, porém disseram que estão retomando as atividades com o intuito de que tudo volte ao normal. A diretoria do supermercado informou, que quando a rede foi vendida, havia R$6.140 (seis milhões, cento e quarenta mil reais), em mercadorias. E atualmente o número caiu para R$2.300,00 (dois milhões e trezentos mil), em mercadoria.

Segundo o advogado da família, Rafael Zouain, o Santo Antônio não tinha nenhum protesto em cartório nos cinquenta anos de tradição, porém até sexta-feira passada, já somam 739 protestos.

Jorginho e seu irmão Acle Zouain, diretor presidente e diretor respectivamente dos Supermercados Santo Antônio no Centro de Distribuição. Eles estão confiantes no recomeço. Foto: Rosimara Marinho

Entenda o caso. A Rede de Supermercados Santo Antônio funciona em Guarapari há 54 anos. Em 26 de julho deste ano (2019), os empresários anunciaram que a rede foram vendidas para o grupo de São Paulo, DX Group Investimentos. Na ocasião, noticiamos a venda do supermercado aqui no Portal 27 que foi destaque na cidade.

O grupo inclusive, informou que faria a modernização das lojas com reforma, manteria o nome que é tradicional e não faria a demissão de funcionários. No entanto, no mês passado, ocorreu a demissão de 80 funcionários. O que seria motivo de quebra de contrato, segundo os donos “originais”, do negócio.

Justiça. A família Zouain, antiga proprietária do supermercado, acionou seus advogados e conseguiu uma liminar na Justiça para retomar o negócio, por descumprimento de cláusulas contratuais como as boas práticas comerciais, pagamento de funcionários, fornecedores e abastecimento das lojas. Leia mais aqui

O Portal 27 tentou contato com os responsáveis pelo DX Group para ouvir o posicionamento a respeito do ocorrido. Um dos responsáveis informou que não está mais no grupo. E outro não atendeu aos telefonemas e não retornou a ligação até o fechamento desta reportagem.