Um dia de diversão que se transformou em uma tragédia para uma família de Guarapari. Assim é a triste história de Andreia Oliveira, de 25 anos, que foi ao parque de diversões, instalado na Praia do Morro, quando ao sair de um brinquedo conhecido como “360 graus”, teve uma parada cardíaca. A equipe do Portal 27 conversou com a avó de Andreia por telefone.

Andreia - parque
Andreia tinha 25 anos e não tinha problemas cardíacos.

Raimunda de Oliveira explicou que a família estava no parque, pois havia recebido parentes de Minas Gerais e queriam mostrar como a Praia do Morro é bonita à noite, então foram ao local para se divertir: “A família toda estava lá: eu, a mãe dela, minha sobrinha. No final do brinquedo, quando ele ia parando, vimos a Andreia se debatendo e depois ela não respondia. Eu ouvi o coração dela e senti a pressão, estava tudo parado. Aí comecei a gritar por socorro”.

Ela explica que teve ajuda da administração do parque. “Eu, o gerente e o segurança do parque colocamos ela em um carro. Quando chegamos no Corpo de Bombeiros, ali mesmo na Praia do Morro, eles começaram a fazer os procedimentos. O coração estava muito fraco, fizeram de tudo para trazê-la de volta”.

Avó
A avó de Andreia conversou com a equipe do Portal 27 para esclarecer o ocorrido.

Raimunda contou que depois disso ela seguiu em uma ambulância dos Bombeiros para a Serra, mas, ao chegar no município, sua neta teve outra parada cardíaca. A jovem foi internada e ficou aproximadamente 10 dias em coma. Nesse período, teve alguns avanços, mas muito pequenos, com poucos sinais de reflexos. Raimunda chegou a pedir orações em uma rede social para a neta.

Ainda de acordo com a avó, a morte de Andreia aconteceu no último domingo (17), quando os médicos decretaram a morte cerebral. “Eles falaram que ela teve uma isquemia cerebral, que 90% do cérebro tinha sido afetado e que se vivesse, ainda poderia ficar sérios danos, como paraplégica para o resto da vida”. O enterro aconteceu nesta terça-feira (19), às 10 horas, no Parque Paraíso, em Guarapari.

a jovem passou mal em um brinquedo do parque que fica na Praia do Morro. Foto: João Thomazelli/Portal 27
A jovem passou mal em um brinquedo do parque que fica na Praia do Morro. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Jovem não sofria de problemas cardíacos

Raimunda esclareceu que a neta não sofria de nenhum tipo de problema no coração. Andreia era estudante de enfermagem, estava indo para o segundo ano de estudos, fazia exames regularmente e havia checado o coração. Se ela tivesse algum tipo de problema, ninguém da família teria permitido que a jovem fosse ao parque. “Jamais iríamos permitir uma coisa dessas se ela tivesse qualquer tipo de problema. Nem eu, nem a mãe dela, nem ninguém da família. E não estamos culpando o parque, nem ninguém”.

Socorro. A avó disse ter ouvido dos médicos que a demora no início dos procedimentos pode ter sido um dos fatores determinantes para a causa da morte. Como a massagem cardíaca só foi feita cerca de 15 minutos depois da parada cardíaca, pelo Corpo de Bombeiros, isso pode ter prejudicado. A família está chocada com o que aconteceu e hoje posta fotos nas redes sociais, com mensagens falando em saudades. “Nada vai trazer a minha neta de volta”, disse Raimunda.

O parque

A direção do Parque Play City procurou a reportagem do Portal 27 e informou que assim que foi verificado que a jovem estava passando mal, ainda semi consciente, foi levada em um carro particular para a Upa, mas na altura do Corpo de Bombeiros a jovem estava desacordada e ali mesmo recebeu os primeiros socorros de uma equipe do Samu que a encaminhou imediatamente para um hospital de Vitória em uma UTI móvel.

“Nós demos todo o suporte a apoio que poderíamos à família, inclusive nos dias que se seguiram à internação”, esclareceu Marcelo Trindade, gerente do parque.

Marcelo disse ainda que todos os brinquedos possuem avisos alertando os visitantes que possuem cardiopatias, ou outros problemas de saúde,  que não se deve usar o brinquedo em que a jovem passou mal. “Pelo que conversei com a família, ela não tinha conhecimento de nenhum problema cardíaco. No hospital a médica nos falou que possivelmente ela tinha sido vítima de uma trombose coronária”, disse.

*Atualizado às 21h38