A denúncia de abuso de poder político e econômico movida na justiça eleitoral pelo PSDB, partido de Carlos Von (confira aqui), contra o prefeito Edson Magalhães (PSD), foi rejeitada pela juíza eleitoral Fernanda Correa Martins.

A denúncia de abuso de poder político e econômico movida na justiça eleitoral contra Edson foi rejeitada.

A ação acusava Edson de uma série de irregularidades eleitorais entre as quais estavam o comparecimento em inauguração de obras de escola durante a eleição, cessão do vice-prefeito para trabalhar em campanha eleitoral, compra de apoio político com caixa 2, violação das regras de arrecadação de campanha, entre outras denúncias de irregularidades.

Posse. Com isso, o PSDB queria que justiça decretasse a perda de mandato de Edson e consequentemente desse  posse ao segundo colocado, no caso o candidato Carlos Von.  Em uma decisão de 14 páginas a juíza diz que a ação movida pelo PSDB não continha elementos suficientes para efetivar a perda de mandato de Edson.

“Assim, cabia ao partido investigante exclusivamente provar os fatos delituosos no que tange à abusividade por abuso de poder econômico ou político por parte dos representados, contudo, o mesmo não logrou êxito sob esses aspectos”, disse a juíza no despacho.

Reprodução da decisão da juíza a favor do prefeito Edson.

No final do documento, a magistrada seguiu dizendo que o mesmo entendimento teve o Ministério Público eleitoral e que por isso “JULGO IMPROCEDENTE os pedidos insertos na presente ação, julgando-a EXTINTA”

Comments are closed.