Foi sancionada a Lei de número 4139/2017, criada pela prefeitura de Guarapari, que torna obrigatório o soterramento de cabeamentos no município. Todas as empresas que utilizem cabos em vias públicas serão obrigadas à enterrar sua fiação.

O emaranhado de fios nos postes da cidade pode estar com seus dias contados

De acordo com o projeto da Lei, a medida busca trazer mais segurança para o município, já que assim, a fiação não corre riscos de ser atingida por acidentes envolvendo veículos, nem por objetos que são jogados nela e muitas vezes representam risco de rompê-la, e também estará livre das condições do mal tempo, que muitas vezes é o responsável por quedas de árvores que rompem os cabos. Outro aspecto que a Lei ressalta, é a poluição visual que a fiação disposta na rua traz para a cidade.

As empresas de energia elétrica, telefonia fixa, banda larga, TV a cabo, entre outras que utilizam o cabeamento externo nas ruas do município, têm até 6 meses para começarem os trabalhos de aterramento dos fios na região.

A meta, que a prefeitura estabeleceu, é que sejam enterrados pelos  menos 3 quilômetros de fiação por ano. Aquelas empresas que não cumprirem a lei, estão sujeitas à multa, que pode variar de R$7.300 à R$10.200, por vezes que for notificada.

O Portal 27 procurou algumas empresas que fazem uso dos cabos no município para saber de seu posicionamento quanto a nova lei. A EDP Espírito Santo, empresa que fornece energia elétrica para a cidade, declarou apenas, através de nota, que  continuará seguindo as normas nacionais que regem a instituição. “A EDP Espírito Santo informa que segue as diretrizes e normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), órgão regulador do setor elétrico”, declarou a EDP.

Já a Radiowave Telecom, operadora de internet de fibra ótica, informou por meio de nota,  que pretende cumprir a nova exigência da prefeitura. “A Radiowave pretende atender a Lei e enterrar os cabos, acreditamos que por ser uma cidade turística devemos nos preocupar com a aparência do município. 

O que precisa ser avaliado são as regiões que realmente precisaremos enterrar e em qual prazo se dará, estudos precisam ser feitos para a execução de um projeto como este.Além das empresas de telecomunicação a concessionária de energia também terá que enterrar os cabos, será uma obra de grande proporção e impacto e não pode ser feita do dia para a noite“, afirma o Radiowave.

Comments are closed.