Após realizarem interdições no trevo da ponte de Guarapari ao longo da manhã desta sexta-feira (16) contra o decreto da prefeitura que determina que o embarque e desembarque dos ônibus intermunicipais sejam realizados na rodoviária em mais quatro pontos pelas cidade, os manifestantes decidiram realizar mais protestos na próxima semana.

Manifestantes bloquearam o transito de 6h até as 11h. Sempre fechando por 10 minutos e abrindo 5 minutos para passagem. Foto: Wilcler Lopes

Para a enfermeira Iracy Marques, que mora em Guarapari e é funcionária pública da prefeitura de Vitória, a manifestação ajudou a dar mais visibilidade ao problema. “Acho que o movimento foi bem positivo. As pessoas já estão começando a entender o que está acontecendo e a partir de amanhã vem o impacto forte de não poder embarcar dentro do município e de ter que comprar um passe para embarcar fora da rodoviária. Mas essa mobilização de hoje foi muito importante e não dá para a gente aceitar o que está acontecendo”.

Iracy afirmou ainda que novas manifestações devem ser realizadas. “Foi decidido que os vereadores Rogério e Zazá vão solicitar uma audiência pública na terça-feira, na próxima sessão. Então terça-feira estaremos na Câmara para fazer pressão, quarta-feira às cinco e meia da manhã estaremos próximo a rodoviária de Guarapari e fecharemos as vias de acesso a ela. Os ônibus não vão entrar nem sair. Enquanto não nos chamarem para nos ouvir e chegar a um acordo com a gente, vamos parar”. 

Ao final do movimento em assembleia os manifestantes programaram outras ações. Foto: Wilcler Lopes.

O vereador Rogério Zanon foi um dos parlamentares que compareceram na manifestação e afirmou que eles pretendem discutir melhor o decreto. “Como vereador sou representante da população de Guarapari e tenho como compromisso principal de na segunda-feira junto com o grupo de vereadores que estava aqui entrar com o requerimento pedindo uma audiência pública para poder conversar de maneira mais ampla sobre esse decreto que foi feito pelo prefeito”.

Ele também fez um apelo ao prefeito Edson Magalhães. “Volto a reiterar como vereador o pedido para que o prefeito bote a mão na consciência, que tenha bom senso, que entenda o clamor da população. Ninguém quer briga, ninguém quer confusão, ninguém quer paralisar nada, ninguém quer inviabilizar absolutamente nada. Pelo contrário, nós queremos viabilizar a locomoção dentro de Guarapari, a logística do ir e vir. Não estamos pedindo nada demais”.

Resposta. O Portal 27 procurou a prefeitura para saber se a mesma já foi procurada por algum representante do movimento para tentar uma conversa e se existe a possibilidade de alguma negociação entre a prefeitura e os manifestantes e nos foi respondido que:

“A Prefeitura de Guarapari, através de uma comissão em conjunto com Ministério Público, concessionária do terminal rodoviário, Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e representantes das empresas das linhas intermunicipais, está há quatro meses discutindo uma maneira de se chegar a um acordo, sem prejuízos, aos usuários dos ônibus intermunicipais.

O contrato de concessão previa a obrigatoriedade de embarque e desembarque de ônibus intermunicipais somente na rodoviária. Com a finalidade de flexibilizar o que se exigia no contrato de concessão, o município conseguiu oficializar, por meio do Decreto 362/2017, uma alternativa amenizando os impactos à população, garantindo quatro pontos de embarque e desembarque em perímetro urbano, ou seja, dentro da cidade.

Ainda, o município solicitou a empresa que opera as linhas municipais, adequação com acréscimo da oferta de horários. Dentro dos próximos dias o município publicará um novo decreto, com novos pontos de embarque e desembarque dentro da cidade.”

Deixe seu comentário

Comments are closed.