A notícia de que este ano a festa de São Pedro será realizada e terá atração nacional não agradou alguns moradores da Prainha de Muquiçaba, onde o evento vai acontecer. Eles querem que a festa seja transferida de endereço.

Desde a semana passada eles procuraram o Portal 27 e informaram que possuem um acordo assinado em 2013 que diz que a festa não seria mais realizada no local. “Fomos pegos de surpresa com a realização da festa ali. A gente não foi consultado, nem informado. Então queremos que se cumpra esse acordo”, disse a fisioterapeuta e moradora do edifício Yasmim, Letícia Zanchetta da Costa, de 38 anos.

Moradores da Prainha de Muquiçaba, querem a festa em outro lugar. Foto: Wilcler Lopes

A aposentada Suzana Macedo, de 64 anos, é moradora do edifício Porto Maior e afirmou que a realização da festa no local atrapalha a vida de quem mora ali “Se houver uma emergência no prédio, é um risco porque a gente não saí. A garagem fica obstruída.  Não há respeito nenhum com as pessoas. Bêbados e drogados ficam todos ali durante a festa até de madrugada e não adianta dizer que tem segurança para isso porque não tem. A prefeitura não está nem aí para a gente. É um desrespeito total. Acho que foi uma atitude totalmente arbitrária de fazerem uma coisa dessas se havia um acordo assinado antes. É um absurdo”.

A síndica do edifício Porto Maior, Rosângela Medeiros Costa, de 61 anos, questionou o motivo da retomada do evento. “Tem três anos que não tem esse evento e não vi nenhuma reclamação do povo pedindo para voltar esse evento. Não sei porque decidiram de forma diferente e arbitrariamente porque não fomos comunicados de nada. O prédio Porto Maior não foi comunicado que iria ter na porta do edifício esse palco”.

Ela também explicou que os moradores não são contra a festa, mas sim a realização na região da Prainha. “Nós moradores da Prainha não queremos que seja feita ali porque é uma área residencial, mas não somos contra a festa. Deveriam fazer um evento cultural chamando as rendeiras, a família Pixilô que ainda mexem com o barro e fazem parte da cultura de Guarapari. Não somos contra a festa, mas o local não é apropriado”.

Moradores mostram o documento em que foi acordado que a festa não seria mais realizada na Prainha.

Para tentar solucionar o problema os moradores marcaram uma reunião com o secretário de Turismo Miguel Agrizzi no final da tarde desta segunda-feira (26), mas a reunião teve que ser adiada. “Ele não compareceu. Quando eu estava vindo para cá o vi na Prainha. A gente veio para a reunião que estava marcada às cinco e quando cheguei liguei para o secretário. Ele falou que estava vindo, mas o Cláudio, o gerente aqui, falou que ele estava em reunião no gabinete com o prefeito e que amanhã vai entrar em contato com a gente”, relatou Letícia.

Segundo Suzana, a ideia era sugerir um outro local para a realização da festa. “Temos a sugestão para a mudança de local da festa. A própria prefeitura já realizou uma festa de Natal naquela pracinha próxima ao supermercado Santo Antônio com um palanque enorme então é possível fazer a festa ali. Lá não tem tanto morador em volta sendo invadido. É um ambiente que é possível ter trânsito, ir e vir enquanto a festa está acontecendo”.

O Portal 27 também tinha uma entrevista agendada com o secretário para saber se seria possível atendar a solicitação dos moradores e mudar o local da festa, mas também fomos informados por funcionários da secretaria, de que ele estava em reunião com o prefeito e por isso, não pôde se reunir com os moradores e nem fornecer entrevista a nossa equipe. 

Comments are closed.