Uma moradora do Perocão procurou a redação do Portal 27 para fazer uma denúncia de crime ambiental. A leitora disse que várias reclamações já foram feitas à Secretaria de Meio Ambiente, mas que até o momento nada havia sido feito.

“Um homem está aterrando uma parte do mangue para aumentar o terreno dele. É um absurdo o que esse homem está fazendo. Todo o dia é visível que ele está aumentando o crime ambiental. Já fizemos diversas denúncias na secretaria de meio ambiente, mas até agora não vimos nenhuma ação”, declarou a moradora.

O dono de um terreno em Perocão estava aterrando o mangue.

O terreno em questão fica na Rua da Bica, uma área do mangue que circunda o Rio Perocão. Nos últimos anos a área tem sido explorada pelo setor imobiliário e diversas casas têm sido construídas às margens do mangue. Próximo ao local também fica a estação de tratamento de esgoto da Cesan, de onde o esgoto da região, depois de tratado é jogado no rio.

Prefeitura embargou obra e multou o responsável.

Outro morador da região reclama do descaso com o manguezal e dos prejuízos permanentes para a natureza. “O mangue, depois que você aterra já era. Não tem como desfazer. É como se ninguém se importasse com isso. Já jogam esgoto de vários bairros no rio através do valão que vem lá do Bairro Aeroporto. Se não bastasse, agora estão aterrando também. Se continuar assim, daqui há pouco não vai sobrar mais nada”, lamentou.

Procuramos a prefeitura de Guarapari para comentar sobre as denúncias. Em nota o município respondeu que está fiscalizando e que o dono do lote em questão já foi notificado e multado. confira a nota na íntegra:

“A Secretaria Municipal de Análise e Aprovação de Projetos (Semap) informa que os fiscais já estiveram no local, inclusive com aplicação de notificação, embargo da obra e multa ao responsável pela obra.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura (Semag) informa que conforme a autuação da Semap, a fiscalização da Semag irá ao local para fazer o levantamento de dano ambiental causado e depois disso, será solicitado o reparo e as compensações prevista na legislação”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.