Vem chegando o verão e uma polêmica está posta em Guarapari. A música ao vivo nos quiosques deve ser liberada ou não? O vereador Germano Borges (PSB) pensa que sim, por isso propôs e viu ser aprovado pelos colegas, um projeto de lei que autoriza o funcionamento dos quiosques por 24 horas e a música ao vivo até as 23 horas. “Os quiosques fazem parte do turismo e nós precisamos fomentar o setor”, disse o vereador.

Depois de ser aprovado, o projeto seguiu para a sansão do prefeito Orly Gomes (PDT). Mas o prefeito já afirmou que vai vetar o projeto, pois existe um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que proíbe a música nos quiosques.

Quiosque_Wilcler
prefeito já afirmou que vai vetar o projeto, pois existe um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que proíbe a música nos quiosques. Foto: Wilcler Lopes/Portal27

Movimento. O vereador Germano promete lutar para a aprovação da lei. “Vamos fazer um movimento positivo com comerciantes, quiosqueiros, hoteleiros e músicos, para derrubar o veto do prefeito”, disse.

Germano levantou debate sobre a saúde.
“Tenho certeza que meus colegas vereadores vão derrubar esse veto e aprovar a lei”, afirmou Germano.

Ainda segundo Germano, em Minas a aprovação da lei foi um sucesso. “Recebi a informação que rádios, veículos de imprensa e os mineiros ficaram muitos felizes, dizendo que com a música nos quiosques o turismo ia voltar para Guarapari. A recepção a essa lei foi muito positiva para nossa cidade. Tenho certeza que meus colegas vereadores vão derrubar esse veto e aprovar a lei”, afirmou.

Músicos. Para a cantora Vanessa Loyola, o projeto de lei é bem-vindo. “A notícia me deixou muito feliz e esperançosa, mas muito receosa ao mesmo tempo, exatamente por estar ciente do posicionamento do atual prefeito com relação à questão. Contudo, discordo desse posicionamento tanto como artista quanto como cidadã”, afirmou ela.

vanessa
“ganharemos uma alternativa a mais nessa cidade linda.”, diz Vanessa.

Ainda segundo Vanessa, a volta da música ao vivo pode ser uma nova alternativa para a cidade.

“Penso que se tivermos de volta a música ao vivo com normas plausíveis e horário limitado, não só na orla da Praia do Morro mas também em outros locais carentes de entretenimento, como o centro da cidade, ganharemos uma alternativa a mais nessa cidade linda. Todos sairemos ganhando. É bom para os músicos, bom para os turistas e bom para a cidade, como foi no passado; sem falar que, com organização e estrutura pode ficar ainda melhor”, disse.

A cantora explica que alguns músicos da cidade estão se reunindo para discutir a sua atuação com relação a esta lei e os seus desdobramentos. Eles estão começando uma campanha nas redes sociais para incentivar e apoiar a volta da música nos quiosques.

 

Comments are closed.