Na tarde de quinta-feira (25) um grupo com cerca de 10 pescadores e trabalhadores da pesca, foram até a Câmara de Guarapari reivindicar um novo espaço para exercerem, com liberdade, as vendas de suas mercadorias.

De acordo com os manifestantes, a fiscalização da prefeitura pretende tirá-los do local onde atuam, conhecida na nova avenida Pedro Ramos, próximo ao mercado de peixes e que margeia o novo canal da cidade.

De acordo com os manifestantes, a fiscalização da prefeitura pretende tirá-los do local onde atuam.

Diante do prazo estipulado pelas autoridades, no final do mês de maio, os pescadores estão preocupados em ter que sair sem receberem um sinal de onde poderiam trabalhar.  Segundo Elieldson de Souza, também pescador, enquanto não encontrarem um novo local para continuarem as vendas, permanecerão onde estão.

Para o pescador Flávio Ferreira, ele e os trabalhadores de pescado querem apenas exercer a função, garantindo a renda mensal. “Em Anchieta existe uma cooperativa direcionada a esse assunto específico e em Guarapari não temos um órgão apoiador de causas como essas. há algum tempo  existia a Aspropesca. Porém, estão fechando as portas devido a uma nova construção no local”, disse Flávio.

Os pescadores ainda afirmam que trabalhar com pesca é a única função exercida por eles e que precisam, na verdade, é de auxílio para manter ordem no local onde atuam.

O presidente da Câmara Wendel Lima, avisou aos profissionais que iria se reunir com os vereadores e eles para tentar viabilizar um entendimento entre os pescadores e o poder público.

Prefeitura. O Portal 27 procurou a prefeitura para saber se os pescadores realmente terão que deixar a região até o final do mês e se o município via disponibilizar um novo local para que eles possam trabalhar e foi informado que “A comercialização de pescados naquele local ocorre de forma irregular sem nenhum tipo de licença ou condições sanitárias adequadas. Assim, foi realizada ação de notificação para retirada dos que se encontram de forma clandestina. A ação ocorreu após a denúncia de diversos moradores sobre várias situações como a comercialização irregular, falta de condições sanitárias, mal cheiro, restos de peixes jogados no chão, entre outros. 

Nesta sexta-feira, 26,  foi protocolado um requerimento administrativo por um dos representantes da Câmara Municipal, solicitando a prorrogação do prazo da notificação e postulando um novo local para a prática da atividade, o que será analisado em reunião na próxima semana entre a Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância Sanitária, Secretaria de Agricultura, Pesca e Expansão Rural, Secretaria de Meio Ambiente e Secretaria de Fiscalização”.

 

Deixe seu comentário

Comments are closed.