Nesta quarta-feira (07) agentes da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) prenderam Fabiano Dias da Silva, de 27 anos; Mike Sabino, de 25 anos, e Renild Couto de Alcântara, de 26 anos, no bairro São Gabriel. Os três são acusados de arrombar e furtar R$ 10 mil em peças de roupas de um depósito no interior de Guarapari, na última terça-feira (06).

A vítima, que prefere não ser identifica, relatou que tinha empregado Fabiano. Foto: Rafaela Patrício

A vítima, um comerciante, de 51 anos, que prefere não ser identificado, relatou que os criminosos arrombaram sete cadeados para furtar as mercadorias e outros objetos como televisão, makita, motoserra, botija de gás e ferramentas. Ele disse ainda que tinha empregado Fabiano e ficou surpreso com sua participação no crime. “Ele era meu pedreiro há 30 dias e é genro do meu caseiro que trabalha comigo há um ano no sítio. Foi uma surpresa muito grande em saber que foi ele. A gente não tinha noção do que tinha acontecido e hoje com o desfecho da polícia a gente conseguiu detectar que foi uma armação”, desabafou o comerciante.

“Estou emocionado em descobrir quem foi. Na intenção de dar um emprego a uma pessoa que precisava a gente é prejudicado. Já tinha ouvido falar muito que as pessoas empregam e os criminosos vigiam tudo para roubar. Então quer dizer que ele estava me vigiando há 30 dias. Foi uma benção do senhor que ele  nos mostrou cedo porque 30 dias é pouco tempo. Fico feliz que a polícia ter resolvido fácil e sem ninguém ter sido prejudicado ou criado alguma coisa maior”.

O delegado Marcos Nery ressaltou a importância de prender e recuperar as mercadorias. Foto: Rafaela Patrício

O delegado titular da Depatri, Marcos Nery, lembrou que muitos furtos tem ocorrido na região rural da cidade e ressaltou a importância de ter conseguido recuperar as mercadorias furtadas. “O sítio é de um microempresário que tem três lojas de roupas e ele fazia este sítio de depósito. Eles levaram uma infinidade de roupas que ele guardava lá e eram o ganha pão dele. Levaram também alguns objetos, assim como fazem em várias regiões rurais da nossa cidade. Nós conseguimos identificar os autores e assim que capturamos fomos atrás de reparar o prejuízo da vítima. Se a gente não consegue recuperar um volume tão grande deste de mercadoria, praticamente iria levar o dono a falência. Esses ladrões são muito covardes, mas nós recuperamos a totalidade dos objetos”.

Outro Crime. Segundo ele, Fabiano também é suspeito de ter participação no assalto de um sítio em Andana, em que um casal foi torturado pelos criminosos. “Nós não admitimos um crime com tamanha violência  na nossa cidade, como o que foi praticado em Andana então passamos a tomar todas as medidas para prender os envolvidos. O Fabiano, que tem diversas passagens e mesmo assim estava solto, foi um dos responsáveis  pelo crime lá em Andana junto com mais dois sujeitos. Quando estávamos chegando em uma das casas que estava com este material, o outro envolvido se evadiu pela mata do São Gabriel”.

Fabiano, Mike e Renil (da esquerda para direita) foram presos com as mercadorias furtadas. Foto: Rafaela Patrício

O que dizem os presos. Fabiano negou  ter participado do crime. “Só porque eu tenho uma ficha suja eles estão me incriminando em uma coisa que não tenho nada a ver”, disse o jovem.  Mike afirma que só guardou as roupas e não cometeu crime nenhum. “Eu só guardei as roupas na minha casa. Não sabia de nada e não estava com eles, por isso guardei”.

Já Renild, que já tem passagem por roubo, admitiu que participou do crime, confirmou que perdeu seu telefone no local e se justificou dizendo que estava desempregado. “Estou arrependido. Estava precisando de dinheiro. Mas minha parte estava guardada e não iria vender agora. Eu estou desempregado há mais de dois anos e antes disso estava trabalhando com a venda de tortas e salgados. Fiz tudo porque  precisava  mesmo. Quero pedir desculpa para o rapaz”.

Fábio da Costa Tosta (sem camisa) e Carlos Alexandre Fambre são suspeitos de terem participados dos dois crimes e estão foragidos.

De acordo com o delegado, o furto das roupas também teve a participação de Carlos Alexandre Fambre, de 27 anos, que  é irmão de Mike, e de Fábio da Costa Tosta, de 23 anos, os dois  também teriam participado do assalto em Andana. Nery ressaltou que mesmo não tendo participado efetivamente do furto, Mike também cometeu um crime.  “O Mike conhece o Renild e o Fabiano porque o irmão do Mike está com mandado de prisão temporária em aberto. Ele é um ladrão e participou efetivamente com o Fabiano no roubo em Andana só que o Mike é um receptador. Ele mantém estas mercadorias e acaba adquirindo alguns  objetos. Na cabeça do Mike ele não é criminoso, mas receptação é crime.Comprar um objeto roubado ou furtado é crime. Portanto vai ser autuado pelo crime de receptação”, disse o delegado.

Ainda de acordo com Nery,  Fabiano e Renild  vão ser autuados por furto qualificado pelo concurso de pessoas e  por ser durante o repouso noturno. Quem tiver informações que ajudem a polícia a capturar Fábio da tosta Costa e Carlos Alexandre Fambre pode ligar para o Disque-Denúncia (181), não precisa se identificar.

Comments are closed.