O prefeito de Guarapari, Edson Magalhães (PSDB), enfrenta mais um grande desafio em sua vida pública. Ele recorreu à justiça e conseguiu uma Liminar contra o Tribunal de Contas do Estado (TCES), para suspender um parecer prévio do Tribunal (130/2018), que recomendou a rejeição das contas de quando Edson era prefeito em 2012.

Rejeição. São poucos prefeitos, presidentes de Câmaras e outros ordenadores de despesas, que questionam os dados e análises técnicas do Tribunal de Contas do Estado (TCES), que possui ótimos técnicos do setor contábil. Os políticos e gestores em geral, tentam fazer um trabalho financeiro/administrativo quase perfeito para evitar cair na “rejeição” do Tribunal de Contas e com isso ficar com a Ficha Suja e sem poder disputar eleições ou assumir cargos públicos.

Edson recorreu à justiça e conseguiu uma Liminar contra o Tribunal de Contas do Estado (TCES), para suspender um parecer prévio do Tribunal (130/2018), que recomendou a rejeição das contas do Município de 2012

Competência. Mas Edson não quis saber e questionou a capacidade do Tribunal de fazer as “Contas” certo. Ele alega que investiu o percentual correto na educação em 2012 e que o Tribunal errou. Em outras palavras, questionou a competência do TCES. Tudo isso porque ele quer evitar a rejeição das suas contas pelo Tribunal e posteriormente pela Câmara, para poder disputar as eleições deste ano.

Batalha. O fim dessa briga pode influenciar atitudes de prefeitos, presidentes de Câmaras e outros gestores. Eles podem vir a questionar o Tribunal na mesma linha da que Edson fez agora. Ou seja, usando a justiça. O prefeito de Guarapari está abrindo um precedente.

Edson recorreu à justiça e conseguiu uma Liminar contra o Tribunal de Contas do Estado (TCES), para suspender um parecer prévio do Tribunal (130/2018), que recomendou a rejeição das contas do Município de 2012, quando Edson era prefeito.

Quem vence? A liminar de Edson contra o Tribunal de Contas está sendo analisada pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJES). Nessa disputa o primeiro Round Edson já ganhou, pois, o desembargador que analisa a derrubada da Liminar, retirou o projeto da pauta na última segunda (3), para poder analisar melhor a situação. Mas, a pergunta que fica é: quem vencerá essa batalha?