Acontece, no próximo sábado, dia 27 de outubro, a partir das 8h30min, no Complexo esportivo e cultural Maurici Santos, em Muquiçaba, o Festival Esportivo para Pessoas com Deficiência Intelectual. 

O Festival é a primeira etapa para a introdução das Olimpíadas Especiais Brasil em nosso estado. Participam nesta etapa as APAES de Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim, Santa Maria de Jetibá, Marataízes, Cariacica e Vitória. Ao todo, são 111 atletas inscritos e mais de 100 voluntários.

Atletas de Guarapari. Somente de Guarapari, há aproximadamente 20 atletas inscritos que foram selecionados de acordo com critérios solicitados pela organizadora. A presidente da APAE em Guarapari, Luciane Cerutti Pádua, explica que foram selecionados, os alunos que podem ter deficiência múltipla, mas que devem possuir deficiência intelectual e com saúde e taxas normais, desde que liberados pelos pais, ou seja, os que têm boa saúde para competições.

Inclusão. Para Ivany Brandão, coordenadora local do evento, a APAE foi fundamental para a introdução do movimento no Espírito Santo. “A seleção dos atletas se dá, pelo nível de desempenho desses atletas, ou seja, os que têm a mesma dificuldade participam juntos, esse é o melhor evento de inclusão do planeta, pois não trabalha a questão do melhor, mas de nível de desempenho”, declara ela. 

ONG. A Fundação Special Olimpics Brasil, que atua na realização do evento é responsável pelas Olimpíadas Especiais, uma Organização sem fins lucrativos, cuja missão é melhorar a vida das pessoas com deficiência intelectual por meio de treinamento e condições esportivas cuidadosamente estruturadas. Sua finalidade é desafiar o participante a tomar decisões e fazer escolhas, aumentando a confiança no seu corpo, melhorando a autoestima, desenvolvendo sua independência e autonomia e possibilitando sua inserção na sociedade.

Treinamento dos profissionais.

Todos os técnicos Educadores Físicos e alunos voluntários passaram por treinamento em Guarapari com a equipe da Special Olympics International. A coordenadora local destaca que para esse público não cabe o princípio de “qualquer coisa serve”, eles são valorizados, “os técnicos que vieram para o treinamento são doutores em Educação Física, o evento tem padrão americano, os atletas que participam têm que estar com laudos médicos, atestados de aptidão física, toda a documentação em dia”, declara.

Modalidades. No Festival realizado no próximo sábado, haverá as modalidades de Futsal e Atletismo, com apresentações culturais de Dança das APAES de Cachoeiro de Itapemirim e Vitória, banda de Congo da APAE de Cariacica e o Coral Feminino Garotas da Musicar, sob regência da Maestrina Peruana Milagros. Para o próximo ano, Ivany espera incluir ginástica rítmica e artística, “que é o carro chefe do Espírito Santo nas olimpíadas”.

Para Luciane Cerutti, “o evento é muito importante para fortalecer os vínculos entre escolar municipais, particulares e APAE, importante na valorização dos alunos”. Ivany Brandão, organizadora local, afirma que a realização do evento é “O maior ganho é o reconhecimento da capacidade desses atletas e estamos proporcionando a inclusão deles”.

Segundo Ivany, organizar um evento desse porte “significa a realização do que em princípio era uma tarefa que me foi designada pelo Lions Clube, e depois disso devo dizer que não fui convencida, mas convertida às Olimpíadas, mas talvez seja um dos meus maiores desafios a introdução do espírito Santo nesse movimento que já é de 56 mil atletas no Brasil, sétimo estado do país a introduzir o movimento. Nosso trabalho no estado está apenas começando, pois as faculdades formam os professores de educação física mas não com essa especificidade, estamos proporcionando a professores e alunos a participação e treinamento nessa área. Todos somos voluntários”.

O evento é aberto ao público, os organizadores aguardam a população em massa. Haverá premiação em medalhas para os atletas. “Precisamos provar que podemos sediar o evento”, afirma a coordenadora local, “é Guarapari sendo divulgada no mundo inteiro, para isso, a participação da população é fundamental”, completa.

O Festival é realizado pela fundação Special Olimpics Brasil e pelo Lions Clube de Guarapari, patrocinado pelo Governo do Estado, a Prefeitura Municipal, o banco Sicoob e a Rodosol. Apoiado pela APAE Guarapari, Hotel Guarapousada, Faculdade Pitágoras, Copy Center, Colégio Americano, Wizard, Máxime e Hotur Hotel.