Preocupados com a qualidade dos recursos hídricos dos rios capixabas, pesquisadores estão realizando análise da água com tecnologia canadense e implantando no Espírito Santo.  Em Anchieta, o Projeto Peixe Guia foi apresentado na tarde desta terça-feira (14), no auditório da prefeitura de Anchieta que apoia esta iniciativa. O prefeito Marquinhos Assad, compareceu a apresentação do projeto.

O projeto Peixe Guia tem o objetivo de criar um modelo unificado de monitoramento ambiental para contribuir com a despoluição dos rios capixabas e padronizar um modelo de monitoramento de diagnóstico de recursos hídricos.

Rios Anchieta
É um projeto que visa trabalhar a despoluição dos rios. A tecnologia usada é canadense, e o ES foi escolhido para o projeto piloto.

Duas espécies de peixe foram escolhidas para servirem de parâmetro sobre a qualidade da água do rio; entre elas o bagre (Genidens genidens). De acordo com a diretora presidente do Instituto Aplysia, Tatiana Furley, baseado na experiência canadense foi feita parceria com a Agência Ambiental Federal Canadense e estão trazendo o método para o Brasil.

No Espírito Santo acontece a primeira experiência do Brasil, da aplicação do método. Como piloto foram escolhidos 3 estuários. O estuário do Benevente, Jucú e Santa Maria. Ela explicou que na terça-feira foram apresentados os resultados encontrados em 2014.

Marquinhos Assad
O prefeito Marquinhos Assad, compareceu a apresentação do projeto.

Ainda segundo Tatiana, no Canadá, essa avaliação foi feita há 26 anos. O projeto tem duração de 2 anos e existe ainda amostragem a serem realizadas em 2015. “Na primeira amostragem foi encontrada uma diversidade muito grande, com bastante alimentos para os peixes. Mas também foram encontrados algum tipo de interferência de matéria orgânica dentro do estuário”, disse.

O projeto Peixe Guia conta com a parceria do Instituto Aplysia, a Agência Ambiental Federal Canadense, que desenvolveu o projeto modelo e mais 25 parceiros. São parceiros o Comitê de Bacia Hidrográfica, Associações de Pesca, Universidades, Indústrias, entre outros.

Tatiana acredita que estamos no caminho certo para resolver o problema do meio ambiente, pois os canadenses acabaram de apresentar um mapa mundi onde está sendo aplicado este modelo de monitoramento, tais como países da Europa, América do Norte, América do Sul, entre eles, Uruguai, Argentina e Chile, Nova Zelândia e Austrália e, entretanto, eles disseram que nenhum há integração tão grande como está sendo feita no Brasil.

Deixe seu comentário