Um tripulante de 56 anos desapareceu em alto mar, após o rebocador em que estava afundar nas imediações da Ilha da Escalvada, em Guarapari. Eric Barcelos Rangel é o chefe de máquinas da embarcação, e não foi visto pelos dois tripulantes que foram resgatados na tarde de ontem.

Eric desapareceu no alto mar em Guarapari. Foto: Divulgação

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 1° Distrito Naval, informou que tomou conhecimento, no dia 2 de novembro, de que o Rebocador “Oceano I”, que havia saído do Porto de Vitória na manhã de 01 de novembro e com previsão de chegada ao Porto de Açú no Rio de Janeiro, não havia chegado ao destino às 12h do dia 2 de novembro. Três tripulantes estavam na embarcação.

O Serviço de Busca e Salvamento (SAR) foi acionado e militares da CPES realizaram buscas nas proximidades das Três Ilhas, onde foi realizado o último contato, mas não obtiveram sucesso. O Navio-Patrulha “Macaé” e uma aeronave Sea Hawk (SH-16), sediados no Rio de Janeiro e em São Pedro d’Aldeia, respectivamente, também foram movimentados para a área de buscas.

No fim da tarde do dia 02 de novembro, a CPES recebeu da CODESA a informação de que duas pessoas foram avistadas na área de fundeio de Vitória. Os tripulantes foram resgatados pela lancha “Falésia” , da Praticagem, e trazidos ao cais da Capitania. Foram prestados os primeiros atendimentos médicos em ambulância do SAMU, sendo em seguida encaminhados ao hospital.

As duas pessoas resgatadas foram confirmadas como tripulantes do rebocador.

As duas pessoas resgatadas foram confirmadas como tripulantes do rebocador. Eles informaram que a embarcação naufragou nas proximidades da Ilha Escalvada.

A Marinha do Brasil permanece com suas equipes de buscas e salvamento ao tripulante desaparecido, empregando uma aeronave, o Navio-Patrulha Macaé e duas embarcações da CPES. A partir de hoje, 03NOV, uma aeronave do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo da Secretaria da Casa Militar (NOTAer/SCM-ES) também presta importante auxílio às buscas.

Foi instaurado o Inquérito Administrativo sobre Fatos da Navegação (IAFN) para apurar as circunstâncias do acidente. Após sua conclusão e cumpridas as formalidades legais, o mesmo será encaminhado ao Tribunal Marítimo, que fará a devida distribuição e autuação e dará vista à Procuradoria Especial da Marinha, para que adote as medidas previstas no Art. 42 da Lei nº 2.180/54.

Cabe destacar que a Marinha incentiva e considera importante a participação da comunidade, que pode ser feita pelos telefones 185 (número para emergências marítimas e pedidos de auxílio) e (027) 2124-6526 (diretamente com a CPES para outros assuntos, inclusive denúncias). Também estão disponíveis o e-mail cpes.denuncia@marinha.mil.br e o aplicativo “Praia Segura”, que pode ser baixado gratuitamente em aparelhos celulares Android e iOS.

Um tripulante de 56 anos desapareceu em alto mar, após o rebocador em que estava afundar nas imediações da Ilha da Escalvada, em Guarapari. Eric Barcelos Rangel é o chefe de máquinas da embarcação, e não foi visto pelos dois tripulantes que foram resgatados na tarde de ontem.

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 1° Distrito Naval, informou que tomou conhecimento, no dia 2 de novembro, de que o Rebocador “Oceano I”, que havia saído do Porto de Vitória na manhã de 01 de novembro e com previsão de chegada ao Porto de Açú no Rio de Janeiro, não havia chegado ao destino às 12h do dia 2 de novembro. Três tripulantes estavam na embarcação.
O Serviço de Busca e Salvamento (SAR) foi acionado e militares da CPES realizaram buscas nas proximidades das Três Ilhas, onde foi realizado o último contato, mas não obtiveram sucesso. O Navio-Patrulha “Macaé” e uma aeronave Sea Hawk (SH-16), sediados no Rio de Janeiro e em São Pedro d’Aldeia, respectivamente, também foram movimentados para a área de buscas.

No fim da tarde do dia 02 de novembro, a CPES recebeu da CODESA a informação de que duas pessoas foram avistadas na área de fundeio de Vitória. Os tripulantes foram resgatados pela lancha “Falésia” , da Praticagem, e trazidos ao cais da Capitania. Foram prestados os primeiros atendimentos médicos em ambulância do SAMU, sendo em seguida encaminhados ao hospital.

As duas pessoas resgatadas foram confirmadas como tripulantes do rebocador. Eles informaram que a embarcação naufragou nas proximidades da Ilha Escalvada.

A Marinha do Brasil permanece com suas equipes de buscas e salvamento ao tripulante desaparecido, empregando uma aeronave, o Navio-Patrulha Macaé e duas embarcações da CPES. A partir de hoje, 03NOV, uma aeronave do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo da Secretaria da Casa Militar (NOTAer/SCM-ES) também presta importante auxílio às buscas.

Foi instaurado o Inquérito Administrativo sobre Fatos da Navegação (IAFN) para apurar as circunstâncias do acidente. Após sua conclusão e cumpridas as formalidades legais, o mesmo será encaminhado ao Tribunal Marítimo, que fará a devida distribuição e autuação e dará vista à Procuradoria Especial da Marinha, para que adote as medidas previstas no Art. 42 da Lei nº 2.180/54.

Cabe destacar que a Marinha incentiva e considera importante a participação da comunidade, que pode ser feita pelos telefones 185 (número para emergências marítimas e pedidos de auxílio) e (027) 2124-6526 (diretamente com a CPES para outros assuntos, inclusive denúncias). Também estão disponíveis o e-mail cpes.denuncia@marinha.mil.br e o aplicativo “Praia Segura”, que pode ser baixado gratuitamente em aparelhos celulares Android e iOS.