Em entrevista solicitada ao Portal 27, Luiz Nicchio, um dos administradores da Construtora Telavive, responsável pela construção e administração do Rodoshopping de Guarapari, fez duras críticas à prefeitura de Guarapari e ao prefeito. “Vou entrar com um pedido de improbidade administrativa contra o prefeito de Guarapari por incompetência, irresponsabilidade e inconsequência. Se ele fosse uma pessoa séria, ele não precisaria esperar uma decisão judicial para cumprir o que está no contrato. Eles não estão pensando na população não. Eles vão deixar uma conta de mais de R$ 40 milhões para a população pagar”.

Nicchio diz que se sente enganado e vai entrar com denúncia de improbidade contra o prefeito de Guarapari.
Nicchio diz que se sente enganado e vai entrar com denúncia de improbidade contra o prefeito de Guarapari.

Luiz Nicchio se diz decepcionado com a atitude da prefeitura e em especial com o prefeito Orly Gomes (PDT). “Eu me sinto enganado. A empresa foi enganada por este prefeito incompetente. Desde 2013, quando a atual administração assumiu, nós alertamos a prefeitura para o fato de que faltaria ônibus para levar os passageiros dos bairros para a rodoviária. Foram eles (a prefeitura) que aprovaram o atual projeto, foram eles que deram as licenças e alvará de funcionamento. Em momento nenhum eles falaram que não concordavam com alguma cláusula do contrato”, disse.

A partir do dia 19 (quinta-feira) usuários do transporte intermunicipal só poderão embarcar na rodoviária. foto: João Thomazelli/Portal 27
Pelo contrato, rodoviária deveria receber todos os passageiros de ônibus intermunicipais. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“Eles alegam que estão defendendo a população, mas isso é mentira! Eles querem que é prejudicar o ex-prefeito e quem vai pagar é a população. Por causa de briga política é que eles estão fazendo isso”, desabafou Nicchio, que no fim da última semana teve que deixar a energia elétrica do Rodoshopping ser cortada por falta de pagamento, que de acordo com ele, é causa direta do não cumprimento de uma das cláusulas do contrato que prevê que os embarques em ônibus intermunicipais deveriam ser feitos apenas na rodoviária e não dentro da cidade, como acontece hoje.

E finalizou: “É por essas coisas que esta semana estamos entrando no Ministério Público com um pedido de abertura de processo por improbidade administrativa contra o prefeito. O que ele está fazendo vai prejudicar a população, que vai ter que pagar esta conta”.

Resposta da Prefeitura de Guarapari

A prefeitura de Guarapari respondeu com uma nota muito similar a dada para a reportagem sobre o corte de luz na rodoviária. Segue a íntegra do texto:

“O Município aguarda desfecho da decisão judicial quanto à obrigatoriedade exclusiva dos embarques e desembarques na rodoviária, autorizado pela administração passada, e reafirma o compromisso em defender os interesses da população para solucionar a situação”.

Deixe seu comentário