Dezoito funcionários do rotativo que participaram da paralisação de ontem por causa do atraso nos salários, foram demitidos na manhã de hoje (15) pela empresa Vista Group Network, administradora do rotativo.

Logo pela manhã os funcionários ficaram sabendo da demissão e realizaram um protesto, primeiro em frente ao escritório da empresa, no bairro Praia do Morro e depois partiram para uma manifestação na avenida Dr. Roberto Calmon, no Centro de Guarapari. Representantes do Sindilimpe estiveram presentes no ato.

Funcionários fizeram manifestação depois de saber da demissão na manhã de hoje. Foto: Roberta Bourguignon
Funcionários fizeram manifestação depois de saber da demissão na manhã de hoje. Foto: Roberta Bourguignon

“A empresa foi clara. Os funcionários foram demitidos porque ontem fizeram uma paralização por causa do atraso no pagamento dos salários. O movimento é legal e a demissão não poderia ter acontecido. Nós conversamos com a empresa e eles ficaram de dar uma resposta até agora de tarde sobre isso. A única negociação que aceitamos é a imediata reintegração dos funcionários demitidos”, disse” Isael Galvão, representante do Sindilimpe.

VGN não comenta as demissões

Procuramos a assessoria de comunicação da Vista Group Network para comentar o episódio. Em nota a empresa disse que que alguns pontos levantados pelo sindicato ontem sobre a falta de banheiros e outras adequações estão sendo providenciadas, mas não quis comentar a demissão dos funcionários. Segue a nota na íntegra:

Várias ruas do Centro ficaram sem os agentes do rotativo por causa da paralisação. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Várias ruas do Centro ficaram sem os agentes do rotativo por causa das demissões. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“A empresa não irá se manifestar sobre os ex-funcionários, pois as demissões fazem parte de critério interno da mesma. Vale ressaltar que os funcionários em serviço estão com salários e benefícios em dia. A Vista Group Network – VGN/Vaga Ativa está em processo de negociação com o sindicato e busca se adequar às exigências.

Recentemente foi alugado um ponto de apoio no Centro para dar suporte aos supervisores e agentes, e vários estabelecimentos comerciais credenciados funcionam como pontos de vendas e podem comercializar o tíquete além dos agentes. Não houve desconto o dia parado por greve nem dos benefícios como vale-transporte e tíquete alimentação de ex-agentes”.

Deixe seu comentário