Parada desde 2015, devido ao rompimento da barragem de lama em Mariana (MG), a Samarco já está com 60% dos preparativos para a volta da empresa prontos e anuncia que irá reabrir em dezembro deste ano.

Até o momento, somente pela expectativa da reabertura, a Samarco já criou 1.300 empregos diretos e a expectativa é que atinja 2 mil até o fim do ano. As informações foram divulgadas por Sérgio Mileipe, gerente-geral de operações da empresa ao jornal A Gazeta.

Samarco já está com 60% dos preparativos para a volta da empresa prontos e anuncia que irá reabrir em dezembro deste ano.

O gerente afirmou que, devido ao coronavírus, por enquanto a maioria dos serviços estão sendo realizados por meio de home office, o que reduziu o fluxo de pessoas nas instalações em 60%, porém, estão mantidas as atividades essenciais da mineradora.
De acordo com ele as ofertas de emprego darão prioridade aos moradores de Anchieta, onde se localiza a Usina de Ubu. Sérgio ainda afirma que a pandemia causou problemas, mas o plano de contingenciamento da empresa já está estabelecido e a data para dezembro está mantida.

Segundo especialistas, a volta da Samarco deve gerar cerca de 5 mil empregos diretos e indiretos, e um fluxo de R$80 milhões na economia capixaba. Antes de encerrar suas operações a mineradora era responsável por cerca de 6% do produto interno bruto (PIB) do estado.

Primeiramente, a única usina a ser ligada será a Usina 4, que representa 26% da capacidade da Samarco, e até 2030 todas as usinas estarão funcionando a pleno vapor. “Vamos voltar com um concentrador em Germano (Minas Gerais) e uma usina de pelotização em Ubu (Espírito Santo), representando 26% da retomada de nossas operações. Estamos propondo alternativas de mineração que são as mais seguras que existem no mercado de tecnologia (no setor de mineração)”, destacou o gerente-geral.

*Por João Pedro Barbosa, estagiário

Deixe seu comentário