Na tarde de ontem (06) o atual secretário de saúde de Guarapari, Otávio Postay, prestou esclarecimentos na CPI dos guinchos da Assembleia Legislativa e disse que vem sofrendo ameaças desde que o edital dos taxis foi homologado pela Justiça.

Postay era presidente da comissão de licitação e concessão da prefeitura na época em que o processo teve início e por isso estaria sofrendo ameaças. Em conversa com a reportagem do Portal 27 o secretário contou que já chegou a ser seguido por dois homens em uma moto e que a todo tempo teme por sua segurança.

OtávioPostay
Postay era presidente da comissão de licitação e concessão da prefeitura na época em que o processo teve início e por isso estaria sofrendo ameaças. Foto: reprodução. TV ALES

“Há alguns dias eu estava saindo da sede da prefeitura por volta das 19 horas e dois homens estavam parados próximos dali. Quando eu saí de carro, eles montaram em uma moto CG preta e passaram a me seguir. Eles me acompanharam até o trevo de Setiba. Quando cheguei na Rodovia do Sol eu acelerei e consegui me distanciar deles. Tomei até uma multa naquele dia. Sem contar que várias vezes percebo movimentação de táxi na frente da prefeitura e sei que é para me intimidar”, contou o secretário.

Postay disse ainda que certa vez um taxista invadiu a sala dele para dizer que acabaria com a licitação. “Eu vi isso como uma ameaça”, disse. Em depoimento, Postay disse que em 2012 um taxista foi espancado no ponto de táxi, porque, segundo os agressores, ele tinha sido um dos responsáveis pela decisão judicial que determinou que a prefeitura fizesse a licitação.

O Portal 27 entrou em contato com o homem agredido, que depois do ocorrido, teve que se afastar da praça.

“Na época eles vieram até o ponto onde eu trabalhava em mais de 15 homens e começaram a me espancar. Eles diziam que o juiz tinha mandado fazer licitação porque eu denunciei ao Ministério Público o esquema de distribuição de placas de táxi na cidade. Depois disso tive que sair da praça porque eles ameaçaram colocar fogo no carro que eu trabalhava”, disse o ex-taxista, que pediu para não ser identificado por medo de represálias.

Proteção para o secretário

O deputado fez declarações polêmicas sobre a licitação dos táxis em Guarapari. Foto: divulgação
O deputado disse que já solicitou proteção para o secretário de saúde de Guarapari. Foto: divulgação

Depois de ouvir as ameaças sofridas pelo secretário de Guarapari, nesta segunda-feira, o presidente da CPI, deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) disse que vai levar a situação ao comando da Polícia Militar e à Secretaria Estadual de Segurança Pública.

O deputado, em entrevista ao Portal 27 na tarde de hoje, disse que preza pela segurança de quem colabora com as investigações. “Eu já solicitei proteção pessoal para o secretário ao Comando-Geral da Polícia Militar e ao secretário estadual de Segurança Pública, André Garcia, diante das alegações de ameaças relatadas durante depoimento”.

Associação de taxistas de Guarapari

O presidente da associação de taxistas de Guarapari, Paulo Silas Vidal Benevenuto, negou que os associados tenham qualquer envolvimento com ameaças ou perseguições contra o secretário. “A associação não tem envolvimento nenhum com qualquer tipo de ameaça contra o secretário. Nós procuramos a CPI para mostrar o que está se passando em Guarapari, mas não temos absolutamente nada contra o secretário. Só queremos que as coisas sejam esclarecidas”, declarou Silas.