O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal autorizou nesta segunda-feira (27) a abertura de um inquérito contra o presidente Jair Messias Bolsonaro. O pedido, feito pela Procuradoria Geral da República, foi emitido diante das declarações do ex-ministro da justiça Sérgio Moro, quando pediu demissão do cargo. O decano exigiu que a investigação seja conduzida pelos próximos 60 dias.

O decano exigiu que a investigação seja conduzida pelos próximos 60 dias.

Acusação. Sérgio Moro acusou Jair Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal politicamente, além de obter informações sigilosas de tal orgão. O presidente, entretanto, negou veementemente as acusações.

O inquérito. De acordo com Celso de Mello, o objetivo do inquérito é averiguar se Bolsonaro cometeu crimes de “falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de justiça, corrupção passiva privilegiada, denunciação caluniosa e crime contra a honra”.