A Prefeitura de Anchieta, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Seman), está realizando uma ação de combate a crimes ambientais e proteção às tartarugadas marinhas. Juntamente com o Instituto de Pesquisa e Conservação Marinha (IPCMar), toda área de Proteção Ambiental (APA) das Tartarugas, de parte do litoral anchietense, está sendo cercada para impedir o tráfego de veículos motorizados (carros e motos).

A proibição é embasada em uma legislação municipal e objetiva proteger e preservar as tartarugas marinhas e seus locais de desova e nascimento, principalmente entre os meses de setembro e março. De acordo com a gerente ambiental da Seman, Ana Matta, a proibição é necessária para preservar e ajudar esses animais no período de postura e nascimento.

A proibição é embasada em uma legislação municipal e objetiva proteger e preservar as tartarugas marinhas e seus locais de desova e nascimento.

Os locais de preservação, considerado APA Tartarugas, e que está proibido o tráfego de veículos motorizados, compreende toda extensão litorânea entre a Praia de Porto Velho e a Praia do Além, próximo ao píer da Samarco (lado sul), e também na Praia das Falésias (Mãe-Bá), no lado norte do píer, considerando toda extensão de vegetação de restinga e as areias das praias.

O IPCMar já vem realizando o cercamento de muitas entradas e aberturas feitas pelos agressores ambientais ao longo do trecho da APA Tartarugas, nas vegetações costeiras.

Toda área de Proteção Ambiental (APA) das Tartarugas, de parte do litoral anchietense, está sendo cercada.

Conforme a secretária municipal de Meio Ambiente, Jéssica Martins, para reforçar a ação foram distribuídos e fixados comunicados nos balneários de Ubú, Parati e Castelhanos e uma equipe vem fiscalizando constantemente a área . “É na restinga e nas areias que as tartarugas fazem os seus ninhos, assim, o trânsito de veículos nas praias é uma ameaça a sobrevivência desses animais, pois podem esmagar os ovos ou os filhotes dentro do ninho, compactar a areia, dificultando ou impedindo o nascimento, e até mesmo atropelar os filhores durante sua corrida junto ao mar”, explica.

Além disso, de acordo com a secretária, a marca deixada pelos pneus dos veículos na areia também pode aprisionar os filhotes, impedindo sua chegada ao mar. Os técnicos da Seman afirmam que o tráfego de veículos na área também pode atropelar ou afugentar as fêmeas em processo de postura.

Os veículos que forem flagrados no perímetro da APA Tartarugas poderão ser autuados e apreendidos conforme determina a Lei nº26/2012 e Decreto Municipal nº 4617/13.

Comments are closed.