O grupo Movimento Urbano, criado no ano passado por usuários do transporte intermunicipal para protestar contra a restrição do embarque e desembarque no perímetro urbano do município, agora é Associação Movimento Urbano de Guarapari (Amug).

A associação foi criada em uma reunião realizada no último sábado (15). O presidente Sebastião Elias Campos Júnior, de 36 anos, explicou porque o grupo decidiu criar a associação. “Ela começou com o problema do embarque e desembarque da rodoviária e no ano passado em uma das reuniões que a gente estava fazendo algumas pessoas já estavam falando que a gente precisava formalizar para termos mais força e aí este ano a gente viu essa necessidade porque o prefeito falou que iria fazer uma coisa e fez outra então entendemos que realmente deveríamos nos legalizar para questionar isso na justiça e bater na porta do prefeito e falar que representamos os usuários”.

A associação foi criada no último sábado (15), tem 30 membros e está em busca de novos associados.

Ele acredita que com a associação o grupo também terá mais força perante a sociedade. “Por várias vezes fizemos um movimento de rua e fomos chamados de baderneiros e coisas do tipo por pessoas que não acompanham os fatos e agora temos essa roupagem legal com a criação da associação”.

O presidente afirmou que a Amug vai trabalhar sobre diversos temos ligados a mobilidade urbana. “O que nos originou foi a questão do embarque e desembarque, mas vamos trabalhar em relação a mobilidade urbana como um todo. Tendo condições ou algum tema mais polêmico como, por exemplo, acessibilidade, a qualidade dos ônibus e a tarifa nós vamos acompanhar de perto”.

Sebastião contou que a associação tem 30 membros que se associaram no dia de sua criação e o grupo está buscando novos associados. “Agora cabe a gente aumentar isso divulgando dentro dos ônibus. Na segunda-feira eu distribuí 20 fichas e essas pessoas vão preenche-las e entregar para a gente. Nossa ideia é criar um site e a pessoa vai poder se associar por lá. Mas estamos esperando a CNPJ sair primeiro”.

Primeira medida. Ele relatou que a Amug vai tomar providências quanto ao embarque e desembarque. “Vamos mandar um ofício para todos os órgãos que estão trabalhando nisso, o Ministério Público, a Prefeitura, o Rodoshopping, o DER e a Câmara, onde iria acontecer uma audiência e agora não sei se vai mais porque o decreto foi revogado. Mas todo mundo que está de alguma forma envolvido vamos avisar que agora nós existimos e se forem discutir o assunto, pedimos a gentileza de sermos convidados porque agora representamos os usuários”.

O presidente da Amug também afirmou que “a lei fala que só podemos participar judicialmente após um ano de criados, mas ela dá uma brecha quando fala que dependendo da relevância e se não tiver outra entidade que representa, podemos entrar antes. Então se precisar entrar na justiça como associação, a gente já vai entrar”.

Quem tiver interesse em se associar pode entrar em contato com o Sebastião no 99698-1147.

Deixe seu comentário

Comments are closed.