Os comerciantes e Guarapari seguem sendo vítimas das ações de criminosos que não se intimidam com a presença de câmeras de videomonitoramento nos locais. A vítima mais recente é o salão Fernanda Alves, localizado na Avenida Jones dos Santos Neves, em Muquiçaba. Ele foi assaltado por volta das nove horas da manhã desta terça-feira (13) e agora funciona de portas fechadas.

Após sofrer dois assaltos em apenas um mês e meio salão funciona de portas fechadas.

A proprietária do salão, que tem o mesmo nome do estabelecimento, relatou que tinha acabado de abrir para que seu funcionário atendesse uma cliente que estava marcada para aquele horário quando o crime aconteceu. “A cliente chegou e em seguida entrou o homem armado e anunciou o assalto. Ele colocou a arma em cima de mim, pediu meu celular, o do rapaz que trabalha comigo e o da cliente”, disse Fernanda. 

Ela contou que após entregar o seu aparelho aproveitou a distração do criminoso para tentar fugir. “Ele foi roubando tudo e quando virou as costas para pegar o celular da cliente eu automaticamente saí correndo e tranquei a porta da frente do salão. O meu funcionário e a cliente dele entraram na garagem, que fica na lateral, e se esconderam. Então ele começou a atirar lá para fora para ver se pegava em mim, mas não pegou”.

Segundo ela, o ladrão não levou nenhuma quantia em dinheiro. Mas fugiu com a ajuda de um comparsa. “Tinha um outro rapaz na rua lateral de moto esperando por ele e eles seguiram em direção ao Sesc”. A ação foi flagrada por câmeras de monitoramento do local e a proprietária registrou a ocorrência.

Veja o vídeo do assalto:

Outro Assalto. A cabeleireira afirmou ainda que este não foi o único assalto sofrido por ela. “Há um mês e meio fui assaltada desse mesmo jeito, com arma na cara. Eram por volta das sete e quarenta da noite e tinha o fluxo todo do pessoal que vai para a faculdade passando por aqui, mas mesmo assim assaltaram a mim e o rapaz que trabalha comigo. A gente estava na calçada aí eles nos abordaram e a gente entregou os celulares”.

Ela disse que apesar de nos dois casos o objetivo dos ladrões eram os celulares, os crimes não foram cometidos pelas mesmas pessoas. “No primeiro caso fui assaltada por dois menores que são irmãos. Ontem não foi a mesma pessoa, ele não estava encapuzado e não parecia estar drogado. Mas foi mais violento e ameaçou atirar em mim se eu reagisse”.

A proprietária do salão também reclamou da falta de segurança na cidade. “Fiquei indignada por que não tem policiamento. Você não sabe se trabalha ou se fica se vigiando. Você tem que viver em cárcere privado e isso é muito ruim. Depois dos assaltos estou trabalhando de portas fechadas”.

O Portal 27 procurou a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) para sa ber o que a PM tem a dizer em relação a reclamação da cabeleireira sobre falta de segurança na cidade e foi informado que “A Polícia Militar se coloca à disposição da comunidade para conversar sobre as ações de policiamento desenvolvidas na região. O comando do 10 º Batalhão convida as comunidades à participarem da reunião do REPAS ( Rede de Promoção de Ambientes Seguros) no próximo dia 28/06 às 9:00 horas no Radium Hotel, em Guarapari. A PM pede a colaboração da população nas denúncias sobre a ação criminosa, por meio do Disque Denúncia (181) e a qualquer atitude suspeita ou ocorrência de crime, uma viatura deve ser acionada pelo Ciodes (190)”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.