O carnaval em Iriri tem sido muito violento. Até ontem (3), 10 pessoas já haviam sido atingidas por disparos de armas de fogo. No sábado (1), dois homens morreram baleados e um bebê ficou ferido após uma confusão na cidade. O grupo estava em uma casa de praia, alugada para passar o carnaval.

Já na madrugada de domingo (2), o filho do ex-prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Renan Coelho Travaglia (entenda o caso), foi morto a tiros após uma discussão. Além dele, outras cinco pessoas foram baleadas.

Crime teria sido cometido por motivo banal.
Crime teria sido cometido por motivo banal.

O comandante da 10ª Companhia Independente, major Emerson Caus, disse que a briga entre Renan e o acusado começou, depois que o homem que efetuou os disparos mexeu com a namorada do jovem.

“Isso aconteceu por um motivo banal. A princípio, a confusão começou porque alguém mexeu com a namorada dele. A vítima não gostou e houve um princípio de tumulto. O acusado acabou sacando uma arma e de forma irresponsável efetuou vários disparos”, disse ele em entrevista à Rádio CBN.

Na noite deste domingo (2), houve mais um tiroteio, que deixou um jovem de 19 anos ferido. Segundo informações da polícia, jovens se envolveram em uma briga que acabou em uma tentativa de homicídio. O rapaz, baleado na perna e no braço, recebeu socorro da polícia e foi encaminhado para o Pronto Atendimento de Anchieta.

De acordo com o major, as praias do Sul do Estado estão com mais de 100 mil turistas em cada uma delas. Em Iriri, o tráfego de veículos foi proibido, por conta da quantidade de gente que circula pelas ruas do município. Aliado a grande concentração de pessoas, a ingestão de bebida alcoólica também contribui para que aconteçam brigas neste carnaval.

Por conta da violência, o policiamento no balneário de Anchieta foi reforçado. Homens do Batalhão de Missões Especiais (BME) e da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) vão permanecer nas praias até amanhã (5).

Com informações da Rádio CBN

Deixe seu comentário