Com a apuração das Eleições 2020 finalizadas em Guarapari (a cidade não tem 2º turno pois tem menos de 200 mil eleitores), o grande destaque foi a quantidade de abstenções e votos inválidos.

Somando as abstenções, votos nulos e votos em branco, o município teve 29.863 pessoas que estavam aptas a votar, porém preferiram não escolher nenhum dos nomes.

O primeiro colocado, e por conseguinte eleito, o atual prefeito Edson Magalhães, teve um total de 23.068 votos, já o segundo, Carlos Von, teve 20.453, nenhum dos dois conseguiu passar os 26,1% de abstenções e votos inválidos, com Edson tendo 24,9% e Von 22,08%.
Porcentagens baseadas no número de eleitores aptos a votar, e não nos que realmente compareceram nas eleições.

Rhadson é advogado eleitoral.

Para entender o motivo desta crescente onda de abstenções e votos inválidos, o Portal 27 entrevistou o advogado eleitoral Rhadson Monteiro, que explicou alguns motivos.

“O fenômeno das abstenções ocorreu em todo o Brasil nessa eleição municipal de 2020, segundo dados do TSE 23% do eleitorado não compareceu as urnas o maior índice em 20 anos! Parte da explicação se alicerça na pandemia de corona vírus, eleitores que apresentassem sintomas gripais até 15 dias antes da eleição não deveriam comparecer às urnas no mais, o receio de muitos cidadãos sobre a segurança sanitária do pleito também desencorajou o comparecimento, habitualmente marcado por aglomerações nas sessões eleitorais”, disse Rhadson.

Que continua. “Em Guarapari o número de abstenções também foi recorde 24.175 o que corresponde a 26,10% do eleitorado local não compareceu as urnas. O número é tão expressivo que é maior do que os votos do Prefeito Eleito Edson Magalhães que recebeu 23.068 dos 68.436 votos validos. A título de comparação, na eleição anterior de 2016 em Guarapari, o Prefeito Eleito recebeu 27.926 votos, sendo o número de abstenções 18.362 (20,81%)”.

E finaliza dizendo. “Esse fenômeno crescente das abstenções, somados aos números de votos brancos e nulos que em Guarapari totalizaram nessa eleição 5.688 votos, também pode aponta para um cenário de descrença de uma parcela do eleitorado diante dos candidatos que concorrem ao pleito. Nesse sentido, um desafio futuro que se impõem a política e como mobilizar os eleitores a ir às urnas ainda que no Brasil vigore por força de lei a obrigatoriedade do voto”.

Deixe seu comentário