Tendo em vista os aumentos frequentes do valor dos alimentos que compõem a cesta básica, o Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES) encaminhou um ofício conjunto à Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON). O documento descreve a “necessidade imediata de intervenção do poder público” para a contenção desses aumentos.

O Procon registrou um aumento de até 80% nos preços dos alimentos. Um exemplo é o pacote de 5kg de arroz, chegando a até R$30,00 em algumas localidades.

O diretor-presidente do Procon-ES, Rogério Athayde, afirma que, sem a elaboração de diretrizes governamentais, não será possível reverter este cenário econômico.
A Secretaria Nacional do Consumidor salientou que já “fez uma articulação interministerial” marcando uma reunião urgente para dialogar com os integrantes dos outros ministérios que são responsáveis por esse tema. O objetivo seria compreender de fato o que gerou esse salto no preço desses produtos.

Os Ministérios da Agricultura e da Economia se comprometeram a enviar os dados e informações necessários, especialmente aqueles relacionados ao comércio exterior.

O presidente da PROCONSBRASIL, Filipe Vieira, reitera que a questão não é apenas local e sim nacional e que os órgãos de proteção e defesa dos consumidores já estão articulados para reverter tal cenário. Segundo ele, é importante que a população cobre de seus representantes na esfera legislativa, a adoção de medidas pertinentes para conter esses frequentes aumentos dos preços dos alimentos.