O adolescente Elias Victor, de 14 anos, voltou para casa e para o convívio da família após passar 59 dias internado depois que caiu do 4º andar do prédio onde o pai morava, durante uma crise de sonambulismo na madrugada do dia 05 de março.

O adolescente segue em recuperação ao lado dos pais e da irmã.

A mãe de Elias Victor, a professora Renata Pinheiro, de 40 anos, relatou que o filho às vezes fica um pouco confuso por conta do trauma sofrido na cabeça, mas que ele está bem e se recupera ao lado da família. “Ele está um pouco confuso ainda, mas atende o telefone e responde o que a gente pergunta. Todo mundo da família que chega ele sabe quem é, mas não lembra o nome. Às vezes faz confusão porque tudo está se encaixando ainda, já que o trauma é muito recente”.

A mãe explicou que foi preciso colocar uma válvula na cabeça por causa do inchaço que ficou na cabeça. “Deu um edema e um hematoma e foi colocada essa válvula para drenar esse líquido e poder desinchar. Ele ainda vai passar por uma reavaliação para saber quando vai tirar a válvula”.

Seis cirurgias. Os pais relatam que durante o período em que estiveram no hospital, Elias Victor passou por seis cirurgias.  “A primeira foi logo no primeiro dia, depois teve a fistula que teve que mexer novamente e depois teve que mexer para colocar o dreno. Depois teve a fístula que teve que mexer novamente, teve a que foi feita para colher o líquido para fazer exame por causa da infecção que ele pegou quando a bactéria atingiu o sistema nervoso central. Depois teve que fazer a da válvula e a sexta foi a plástica para fechar a ferida. Já a do pé a médica falou que eu poderia trazer ele para casa que eu dava conta aqui”, descreveu a mãe.

O adolescente caiu do 4º andar do prédio onde o pai morava.

A professora disse ainda que o adolescente não se lembra do acidente e que enquanto estava internado perguntou porque estava no hospital. “Teve o grande dia que ele me perguntou porque estava no hospital. Eu expliquei que ele estava lá porque tinha sofrido um acidente e ele me perguntou sobre a cabeça então eu falei que ele caiu e teve que fazer a cirurgia, ele não lembra de nada”.

Ela também relatou que assim como ela, o filho é sonâmbulo. Mas que nunca tinha feito nada que pudesse gerar alguma preocupação em relação ao problema. “Ele descia essas escadas enquanto eu estava vendo televisão e deitava do meu lado e chamava para ir para cama. Eu pegava e levava para o quarto.  Eu não tinha levado ele para o médico porque era uma coisa normal, que eu também tenho e conseguia controlar. Nunca aconteceu nada, teve uns casos que ele deitava e depois vinha no meu quarto e me acordava dizendo que tinha um bicho no quarto, dormindo. Eu tinha que ir lá e mostrar que não tinha nada, mas surtos de querer se matar e coisas assim ele não tinha”.

“Tentei correr para pegar ele e não consegui. Vi ele caindo e não gosto nem de lembrar”

Acidente. O pai, o autônomo Elias Júnior, de 44 anos, falou sobre a noite do acidente. “Acordei e ele estava na janela. Tentei correr para pegar ele e não consegui. Vi ele caindo e não gosto nem de lembrar”, disse o pai. “Ninguém merece passar por isso, pai e mãe nenhum merecem. É um desespero, coisa de filme de terror mesmo. Mas agora meu filho está de volta para casa, hoje a gente almoçando juntos eu vi que ele está entrando no clima da família”, completa. 

Ele também afirmou que o filho segue fazendo tratamentos e que vai passar por uma nova cirurgia. “Ele está fazendo fisioterapia e semana que vem começa com a fono. Mais para a frente a gente vai voltar para o médico para dar continuidade ao tratamento. Daqui a três meses ele deve voltar para fazer outra cirurgia. A gente ainda vai buscar outros tratamentos para ele, vamos ter que levar no psicólogo e em um médico especialista para ver o que está acontecendo dentro da cabeça dele e se tem algum distúrbio de sono”.

Gratidão. Aliviada por ter o filho em casa, Renata agradece a todos que torceram pela recuperação do menino. “Naquele momento em que recebi o telefonema não entrei em desespero porque acredito que Deus está presente na vida de todos e a todo momentos. Acho que só tenho a agradecer a Deus, não tenho nada para pedir. Agradecer também as pessoas que estavam em oração e aquelas que ajudaram na ação entre amigos então só agradeço do fundo do meu coração. Meu filho ainda é uma criança e eu como mãe sinto que ele nasceu de novo”.

O pai de Elias Victor fez questão de deixar uma mensagem para os outros pais. “Quero dizer para as pessoas prestarem mais atenção nos filhos.  Meu filho estava aqui e tinha os pesadelos dele e talvez a gente não prestou tanta atenção assim. A gente pensou que era uma coisa simples. Então a gente deve olhar mais para nossos filhos, cuidar mais e dar mais atenção. No mundo de hoje a gente quer só trabalhar e esquece dessas coisas, não prestamos atenção no que o filho da gente está fazendo do nosso lado. Então quero deixar um lembrete para todo mundo cuidar mais das crianças para que isso não aconteça porque ninguém merece passar pela situação que a gente passou. Não desejo isso para ninguém”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!