Em decisão nos autos do processo 024910032226, a juíza Gisele Souza de Oliveira, da 1ª Vara Criminal de Vitória, designou para o dia 4 de novembro de 2013, às 9 horas, a sessão do Tribunal Popular do Júri do ex-policial civil Romualdo Eustáquio Luz Faria, o Japonês, último a ser julgado como acusado pela execução da colunista social Maria Nilce dos Santos Magalhães, ocorrida em 5 de julho de 1989, na Praia do Canto, em Vitória.

download (5)

 Na mesma decisão, a magistrada indefere o pedido de revogação preventiva ou a substituição por prisão domiciliar do acusado de Japonês, que está foragido da Justiça. O caso Maria Nilce é um dos processos incluídos no banner “Por Onde Anda”, inserido no Portal do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES).

O denunciado não foi encontrado pelos oficiais de Justiça que o procuraram nos endereços informados à Justiça, bem como seus familiares alegam desconhecer seu paradeiro. Entretanto, o advogado de defesa informou a um dos oficiais que Japonês encontra-se no Estado de Rondônia.

download (4)

Maria Nilce foi assassinada aos 48 anos. Foi apontado como mandante o empresário José Alayr Andreatta, que já foi condenado pelo júri e está foragido da Justiça. Ele teria contratado Japonês, que, por sua vez, teria subcontratado os pistoleiros José Sasso e Cezar Narciso. O pistoleiro José Sasso morreu envenenado na prisão.

Outro acusado no caso Maria Nilce foi o piloto Marcos Egydio Costa, que deu fuga em seu avião aos pistoleiros. Ele iria também a julgamento em novembro de 2012, mas foi assassinado no dia 27 de janeiro daquele ano, em Jacaraípe, na Serra, dentro de seu estabelecimento comercial.

maria nilce e família

Também chegou a ser acusado de participação no crime o policial civil Charles Roberto Lisboa, mas, em sentença assinada no dia 17 de maio de 2011, a Justiça considerou improcedente a acusação feita contra Charles.

No dia 10 de julho de 2012, ocorreu o julgamento do ex-policial militar Cezar Narciso da Silva, que foi condenado a 19 anos de prisão, em sessão do Tribunal Popular do Júri presidida pelo juiz Marcelo Soares Cunha.

Fonte:  TJES

Deixe seu comentário