Nesta terça-feira (05) foi comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente e a Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Guarapari aproveitou a data para realizar uma reunião pública e discutir o saneamento básico da cidade.

O presidente da Comissão, vereador Thiago Paterlini relatou que  recebeu denúncias de locais em que o esgoto está sendo jogado no mar e decidiu realizar a reunião em busca de uma solução. “Tenho recebido muitas denúncias de esgoto sendo jogado no mar. A exemplo temos o que acontece na Rua da Marinha que quando a gente passa pela ponte pode observar o odor que fica ali com a maré seca. Por trás do posto Guarave também tem uma rede de drenagem em que o esgoto está sendo lançado no mar e Concha D’Ostra  e alguns pontos da lagoa do  Bela Vista. Nosso objetivo é encontrar um meio para que isso seja solucionado e saber se estes locais contam ou não com rede de esgoto, quando serão contemplados e se contam, que notifiquem o usuário para que o esgoto seja jogado na rede”, explica. 

A secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Thereza Christina Barros; os vereadores Denizart Luiz, Thiago Paterlini e Marcos Grijó e o gestor da divisão litorânea da Cesan, Thiago Furtado. Foto: Rafaela Patrício

Fiscalização. A secretária de Agricultura e Meio Ambiente, Thereza Christina Barros, lembrou que ao realizar a primeira análise de balneabilidade das praias descobriu que cinco pontos não estavam próprios para banho e a partir daí começou fiscalizar e multar os imóveis que não estavam ligados na rede de esgoto. Essa fiscalização vem sendo realizada toda terça e quinta-feira por um técnico da Cesan e fiscais da Secretaria nos imóveis que a concessionária identifica como não ligados a rede. Os proprietários dos imóveis recebem um prazo de 20 dias para a pessoa ligá-lo na rede coletora da Cesan e se não o fizer, recebem um auto de infração de R$ 8 mil.

“Em oito meses 1.996 imóveis se ligaram a rede coletora da Cesan. Isso significa 790 mil litros de esgoto por dia que iam para nossas praias e não vão mais.  Hoje temos mais de 3 mil imóveis ligados a rede coletora da Cesan e isso significa mais de um milhão de litros de esgoto por dia a menos nas nossas praias”, disse a secretária.

Segundo ela, o município vai arcar com os custos da ligação na rede de esgoto nas casas das famílias que não tem condições de realizar o serviço e provarem isso. “Quado nosso fiscal notifica uma pessoa para se ligar a rede coletora da Cesan e ela alega não ter condições financeiras para fazer a orientação que ele dá é para que a pessoa procure a Secretaria de Assistência Social, que vai fazer todo o levantamento para o município disponibilizar isso”.

Investimentos. Em sua fala o gestor da divisão litorânea da Cesan, Thiago Furtado, afirmou que atualmente a concessionária oferece uma cobertura de cerca de 69% da rede de esgoto de Guarapari. Ele explicou que com o Plano Municipal de Saneamento Básico junto com novo contrato de concessão prevê melhorias no saneamento básico que devem começar a ser cumpridas em breve. “Está previsto um investimento de R$ 77 milhões em até cinco anos. Do 6º ao 15º ano o investimento é de cerca de R$ 100 milhões e do 16º ao 30º ano R$ 171 milhões. Em 30 anos temos um investimento previsto no total de aproximadamente  R$ 348 milhões”.

“Em 30 anos temos um investimento previsto no total de aproximadamente  R$ 348 milhões”., explica o gestor da divisão litorânea da Cesan, Thiago Furtado,

Thereza Christina também revelou um novo investimento da concessionária no município. “A Cesan vai implantar o sistema de esgotamento sanitário em Concha D’Ostra nos dois quilômetros de barreira física. Isso iria custar para os cofres do município R$ 840 mil e a Cesan assumiu o compromisso de pagar para gente. Essas parcerias são fundamentais”.

Cobertura total. Segundo o gestor da divisão litorânea da concessionária, a previsão é que em cerca de 16 anos Guarapari tenha 100% de cobertura da rede de esgoto.  “Está previsto para universalizarmos o sistema em 16 anos, ou seja, ter rede passando na frente de todos os imóveis. Isso não quer dizer que as pessoas vão interligar na mesma agilidade, mas aí entra justamente o trabalho que estamos fazendo com a Secretaria de Meio Ambiente, que é quem tem o poder de fazer com que as pessoas liguem na rede e cumpram a obrigação legal”.

Visitas. O presidente da Comissão de Meio Ambiente afirmou ter ficado satisfeito com o resultado da reunião e se comprometeu a ir visitar os locais afetados pelo problema. “Vamos in loco com a Cesan nos próximos 15 dias para que eles tomem conhecimento do que a sociedade reclamou e assim eles possam apresentar a solução para este problema”, finalizou o vereador Thiago Paterlini.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here