JB Padrão
Black Live
Banner TOP

O cinema de Guarapari e o cinema nacional estão muito bem representados pelo cineasta Rodrigo Aragão. Seu quinto filme, A Mata Negra, que ainda será lançado, entrou com o pé direito no tapete vermelho do maior festival de cinema mundial, de Cannes, na França, com a exibição de uma prévia do longa que aconteceu ontem (12).

“Estou muito feliz, ser exibido em Cannes é uma grande realização para um cineasta. Infelizmente não pude estar lá, mas já fico muito feliz de ter conseguido mandar A Mata Negra, não pelo glamour, mas pela possibilidade de me abrir novas janelas”, fala Rodrigo.

Rodrigo é considerado o novo mestre do cinema de terror no país. Foto: Vinicius Rangel.

Festival. No Brasil, a produção de terror, será lançada no Fantaspoa, o maior festival de cinema fantástico da América Latina, realizado em Porto Alegre. “Em 2018 ele inicia o circuito de festivais, a gente vai abrir o Fantaspoa. Está sendo uma data muito emocionante, porque há exatos 10 anos atrás eu abri esse festival com Mangue Negro, meu primeiro filme. Está sendo a comemoração desse ciclo de 10 anos. E acredito que ele vá fazer todo o circuito de cinema fantástico”, comenta.

“O Mata Negra é um filme que fala de uma menina que encontra o livro amaldiçoado de Cipriano”, explica Rodrigo.

O cineasta fala sobre o enredo filme. “A Mata Negra é um filme que fala de uma menina que encontra o livro amaldiçoado de Cipriano. Ela tenta usar esse livro para conquistar o amor da vida dela, só que o livro é maldito, e ele traz desgraça para a pessoa que porta ele para todo mundo que está em volta”, revela.

Apoio. “A Mata Negra” é um longa que teve apoio financeiro do governo federal, pelo incentivo à cultural, no valor de R$ 630 mil. Esta é a primeira produção financiada de Rodrigo. “É um filme rodado totalmente aqui em Guarapari. Ele é um marco na minha vida que é o meu primeiro filme com o apoio oficial, ele veio para me tirar das bordas, sempre fiz filme com verba particular, é o primeiro filme que tenho um padrão técnico de equipamento profissional, com pessoal adequado, foram mais de 100 colaboradores entre atores e produtores, técnicos, será rodado em 4K”, diz ele se referindo a mais recente tecnologia em qualidade de imagem.

Rodrigo ressalta que o filme foi uma experiência profissional enriquecedora para os profissionais locais. “O mais legal foi intercambio artístico que esse filme proporcionou. Atores e técnicos de Guarapari, e de outros lugares do Espírito Santo, puderam contracenar com Jackson Antunes, Clarisse Pinheiro. Isso foi um aspecto muito importante”, afirma.

Institucional MAllagutti
Banner Marcelo
Institucional Basic Idiomas

Padrão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here