Serviço de coleta de lixo está funcionando parcialmente em Guarapari, dispondo de apenas três caminhões. De acordo com a Prefeitura Municipal, o motivo é a greve dos motoristas da empresa terceirizada, responsável pelo serviço na cidade.

Na última sexta-feira, o Portal 27 publicou uma matéria informando que a coleta de lixo de Guarapari poderia ser prejudicada, em função de uma possível greve dos trabalhadores rodoviários da limpeza urbana. O comunicado da Sintrovig era de que dentro de até 72 horas os serviços poderiam ser paralisados.

Fonte: sala de trânsito. Imagem ilustrativa

A matéria informou que segundo o edital de greve do Sintrovig-ES, houve diversas tentativas de negociação para melhoria de condição dos trabalhadores da classe, mas as negociações não evoluíram.

Procuramos a prefeitura que na ocasião não havia sido informada sobre a greve e poderia apenas responder pelos funcionários da Codeg, uma vez que esse serviço é de responsabilidade direta do município e os reajustes devidos foram dados aos trabalhadores, conforme nota (confira a matéria na íntegra).

Hoje (26), a Prefeitura Municipal de Guarapari divulgou por meio de nota que em função da greve dos motoristas da limpeza urbana (que são terceirizados), o serviço de coleta de lixo está funcionando parcialmente. Confira nota na íntegra:

“A Prefeitura de Guarapari, através da Companhia de Melhoramentos e Desenvolvimento Urbano (Codeg), informa que o serviço de coleta de lixo está funcionando de forma parcial, em decorrência do movimento de greve dos motoristas da empresa terceirizada – CTRVV, responsável por este serviço no município. A CTRVV já informou a Codeg, que está em diálogo com o sindicado da categoria, para que seja resolvida a situação. No momento, a coleta de lixo está sendo realizados por um caminhão da CTRVV e dois caminhões caçamba, disponibilizados pela Codeg. A empresa terceirizada já foi comunicada a disponibilizar mais um caminhão, para que se cumpra os 30% do serviço. O serviço de limpeza pública, realizado Codeg está funcionando normalmente. Os funcionários da companhia não possuem relação alguma com este movimento de greve. A Codeg concedeu aumento neste ano, cumprindo o que determinou a convenção, inclusive os funcionários estão recebendo a segunda parcela do retroativo”, finalizou nota.

Deixe seu comentário