Em sessão realizada na terça feira (17), os vereadores de Guarapari passaram quase quatro horas no plenário da Câmara analisando projetos, requerimentos e votando a criação de duas comissões de investigação. Uma delas foi a pedido do presidente Wanderlei Astori (PEN) para apuração de possíveis irregularidades na licitação da construção da nova rodoviária.

Sem o fluxo previsto de passageiros, Rodoshopping pode fechar e entrar na Justiça contra prefeitura. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O contrato de concessão da nova rodoviária será alvo de investigações. Foto: João Thomazelli/Portal 27

A aprovação foi por unanimidade entre os vereadores presentes. O presidente nomeou os vereadores Thiago Paterlini (relator), Rogério Capistrano (membro) e Jorge Figueiredo (presidente) para compor a comissão que pretende responder aos questionamentos da população. “Muitas irregularidades já foram apontadas pela população como a compra do lote, o contrato de licitação e até mesmo sobre a cláusula que obriga os passageiros a realizar o embarque e desembarque exclusivamente da nova rodoviária”, explica Astori.

Na sessão da última quinta-feira (12) um dos usuários do transporte público teve a oportunidade de falar na Tribuna da Câmara. “Eu acho incrível, é que a cada reunião feita, se descobre algo novo do processo. É metade do processo que some, é desapropriação que não foi paga, e por último é que parte desse processo que sumiu faz a doação de um terreno para a Itapemirim”, disse Ubiratan Menezes.

câmara
Outra comissão irá investigar a compra de terrenos da prefeitura de Guarapari no período de 2013/2016. Foto: Roberta Bourguignon.

Terrenos. A pedido do vereador Sérgio Ramos Machado foi aberta uma segunda comissão de investigação. Essa irá apurar possíveis irregularidades na compra de terrenos pela prefeitura de Guarapari no período de 2013 a 2016. “Já que muitos desconfiam, acho importante investigar se realmente existe alguma irregularidade na compra dos terrenos feita nesta atual administração”, explica o autor do pedido.

Os vereadores nomeados para a investigação foram Germano Borges (PSB, Lincoln Bruno Cavalcante (DEM) e Manoel Ferreira Couto (PT). “Nós ainda não sabemos de fato quais são os terrenos questionados em denúncias feitas aos vereadores, mas nós vamos tomar ciência e averiguar”, explica o vereador Manoel.

Em nota, a Prefeitura de Guarapari disse que ainda não foi informada oficialmente, entretanto, continuará colaborando com a transparência dos todos e quais quer atos públicos da administração. Tão breve a Prefeitura seja acionada, irá se manifestar por meio de sua Procuradoria Geral.

Deixe seu comentário