Durante a madrugada do último domingo (18), três criminosos assaltaram uma relojoaria em Guarapari, levando mais de 50 anéis, pulseiras, brincos, armações de óculos e escapulários no valor de R$2.800. Os criminosos contaram com explosivos para invadir a loja, localizada em frente à um posto da polícia militar.

Para realizar a ação, os criminosos se aproveitaram da madrugada, com um tempo total de roubo de 3 horas. Primeiro eles invadiram uma ótica localizado ao lado da relojoaria, e lá usaram os explosivos na parede que fazia a divisão entre as lojas, conseguindo assim ter acesso ao ouro e demais objetos de valor.

Durante a madrugada do último domingo (18), três criminosos assaltaram uma relojoaria em Guarapari, levando mais de 50 anéis, pulseiras, brincos, armações de óculos e escapulários no valor de R$2.800.

“É triste atender o telefone cedo e descobrir que a loja havia sido arrombada. Levei um susto, porque a loja tem alarme, sensor de presença, mas eles foram tão precisos que não passaram no sensor, e por isso o alarme não acionou. Eles devem ter investigado antes, porque foi muito preciso”, comentou a proprietária da relojoaria, Nayane Santos.

Nayana ainda fala sobre o sistema de segurança no qual ela investiu, as câmeras inclusive gravaram todo o momento do roubo, porém, antes de fugir, os criminosos levaram o sistema que registrava as imagens.

“Agora estamos pedindo ajuda aos comércios mais próximos. Eu investi mais de R$ 5 mil em segurança particular, mas nem isso inibiu a ação dos criminosos”, completa a propietária.

Os bandidos, de forma debochada, ainda usaram o banheiro da loja, deixando dejetos espalhados, mexeram na geladeira, fumaram e espalharam as guimbas dos cigarros em todo o chão do estabelecimento.

“É triste atender o telefone cedo e descobrir que a loja havia sido arrombada.”

A outra proprietária da loja, Jane Márcia Rodrigues, comentou sobre o fato e o susto que teve ao chegar, lembrou também da existência de um posto da polícia localizado na frente da relojoaria, mas assumiu que não se sente mais segura como era antes.

“Quando eu cheguei hoje para trabalhar, minha chave não estava abrindo a porta. Meu marido foi testar a dele, também não abriu. Mas logo vimos que a porta estava na verdade, aberta. Quando vimos, a parede estava quebrada, e toda essa bagunça armada. Estamos em frente ao posto policial. As vezes temos o sentimento de segurança por estar em frente a polícia, mas vimos que isso não inibi nada”, explica Jane.

Jane ainda comentou sobre as expectativas de recuperar os objetos e o que pretende fazer após o assalto. “Não temos expectativa nenhuma de recuperar nada. Nossa esperança é conseguir trabalhar e conseguir recuperar o que perdemos. Porque os produtos são difíceis de encontrar”, finaliza Jane.

A ocorrência ocorreu no bairro Cento e foi registrada na Polícia Militar, que informou que a companhia funciona em horário administrativo, de 9h às 17h, e em dias úteis. A ocorrência será encaminhada para a Polícia Civil de Guarapari.

Deixe seu comentário