Metade da água consumida hoje em Guarapari vem de Anchieta. Com o aumento do consumo na cidade e a baixa vazão dos mananciais do município, cada vez mais a cidade fica dependente do vizinho.

A informação foi dada por Thiago Furtado, gestor da divisão de operação e manutenção litorânea da Cesan. Na última sexta-feira (02) o gestor recebeu a reportagem do Portal27 para falar sobre a situação do abastecimento de água no município, visto que na última semana a Cesan anunciou que deve começar o racionamento de água na Grande Vitoria nos próximos 60 dias.

Metade da água captada para abastecer Guarapari vem de Anchieta. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Metade da água captada para abastecer Guarapari vem de Anchieta. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“Nós temos uma situação muito crítica na Região Norte e essa crise está se agravando na região metropolitana de Vitória. Sobre a Região Sul, mais especificamente Guarapari, nós estamos em uma situação um pouco mais confortável. Hoje, se Guarapari dependesse só dos mananciais da cidade, já estaria em uma situação extremamente crítica. Só que a Cesan, ao longo dos anos, passou a investir muito no rio Benevente, em Anchieta”, declarou Thiago Furtado.

Durante a alta temporada, a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) consegue captar até 700 litros com a ajuda do Rio Benevente de Anchieta.
Durante a alta temporada, a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) consegue captar até 700 litros com a ajuda do Rio Benevente de Anchieta.

“Atualmente a quantidade de água captada pelo Benevente é de 218 litros por segundo, enquanto do Rio Conceição estão vindo 31 litros por segundo de 400 litros captados no total”, disse.

Apesar da situação em Guarapari não ser alarmante, a Cesan está se preparando para um eventual agravamento da estiagem também para a Região Sul. Para isso, a Cesan está preparando um edital com a previsão de contratação maior de carros pipas para o verão.

Para evitar a falta de abastecimento nas residências, furtado alertou para a necessidade de se ter caixas d´água nas residências. “Fora dos bairros turísticos, muitos imóveis não possuem reservatórios (caixa d’água). Isso acaba sobrecarregando a rede e a pressão cai. No ano passado começaram a falar que nós estávamos desviando água dos bairros mais pobres para botar para os turistas. Isso não é verdade. O que acontece é que como muita gente ao mesmo tempo consome a água diretamente da rede, a pressão cai e é mais difícil para a Cesan manter o abastecimento normal. Por isso a importância de um reservatório”, concluiu Furtado.

Comments are closed.