O Desembargador Arthur José Neiva de Almeida, relator do processo do prefeito de Guarapari, Edson Magalhães (PSDB), no Tribunal de Justiça do Estado (TJES), adiou ontem (10), o seu voto retirando o processo da pauta para votação.

É a segunda vez que o relator adia a sua decisão sobre se mantem ou derruba uma Liminar conseguida pelo prefeito, junto ao juiz substituto Marcelo Mattar Coutinho, para suspender os efeitos do parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado, (130/2018), que recomendou a rejeição das contas do Município de 2012, quando Edson era prefeito. Na Liminar o juiz ainda determinou que o Tribunal de Contas não enviasse as contas para serem votadas pela Câmara Municipal de Guarapari.

É a segunda vez que o relator adia a sua decisão sobre se mantem ou derruba uma Liminar conseguida pelo prefeito

De acordo com o que o Portal 27 apurou junto a advogados, na próxima sessão do Tribunal de Justiça, o desembargador tem que apresentar o voto. Não há mais como adiar. Se o Desembargador derrubar a Liminar, as contas de Edson seguem para a Câmara.

Caso os vereadores acompanhem o parecer do Tribunal de Contas e também votem pela rejeição, Edson pode se tornar ficha-suja e ficar inelegível por cinco anos, ficando impossibilitado de disputar a eleição deste ano.

Deixe seu comentário