Um casal estava sendo investigado há mais de três meses pela Delegacia Patrimonial de Guarapari, por suspeita de prostituição, tráfico de drogas e aliciamento de menores. Nesta segunda-feira, eles foram detidos com mais quatro meninas e uma criança de cinco anos, dentro de uma casa no bairro Praia do Morro.

Dentro do quarto, as mulheres foram encontradas seminuas em cima da cama
Dentro do quarto, as mulheres foram encontradas seminuas em cima da cama

Os policiais montaram uma campana em frente à casa do suspeito, quando notaram uma movimentação estranha. Uma menina desceu da casa e recebeu um pacote de um rapaz. O jovem foi abordado logo depois pelos policiais civis, que constataram um forte odor de substância similar ao crack. Ps policias não encontraram nenhum entorpecente com o indivíduo, que  logo foi encaminhado a 5° delegacia regional do município, ouvido e liberado.

Horas depois de volta ao local, ao avistarem uma grande quantidade de fumaça saindo da residência, os policiais entraram e encontraram em um dos quartos, José Benedito Torres, 50 anos, o “Bené”, Camila Alves de Figueiredo, 21 e mais três mulheres seminuas, sendo uma maior e outras duas menores. No quarto ao lado, estava outra mulher com uma criança, de portas abertas. Na casa, também havia indícios do consumo de drogas, foram encontradas três porções de crack e uma bucha de maconha. Além de objetos para auxílio na prática sexual.

Uma das mulheres estava fazendo o uso de bebida alcoólica e cigarros.
Uma das mulheres estava fazendo o uso de bebida alcoólica e cigarros.

Segundo a Polícia, Bené era o chefe e Camila agia como secretária, era ela quem aliciava as meninas para manterem relações sexuais com o empresário. Era ela também que comprava drogas para ele.

Todos os envolvidos foram encaminhados a 5° delegacia regional para prestarem depoimentos.
Todos os envolvidos foram encaminhados a 5° delegacia regional para prestarem depoimentos.

Em depoimento, as menores disseram que foram chamadas para ir a um churrasco e quando chegaram lá, se depararam com a situação. De acordo com a Polícia Civil, para manter relações sexuais com as jovens, o empresário as drogava primeiro. José negou que mantivesse relações com as meninas e disse que as chamou para serem diaristas. Ele confirmou que era usuário de drogas.

O delegado David Gomes orienta que se houver outras vítimas, elas devem procurar a Delegacia. “Peço para que outras vítimas que o reconheçam, se dirijam a delegacia de Guarapari e o denunciem”.

Camila e José foram indiciados nos artigos 33 e 35 da lei 11.343/06 (tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas); artigo 244 A e B do Estatuto Da Criança e do Adolescente (submeter criança ou adolescente à prostituição ou à exploração sexual e Corromper ou facilitar a corrupção de menor); e o artigo 218 B, que foi adotado recentemente como crime hediondo (Favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de criança ou adolescente ou de vulnerável). Eles foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisório de Viana.

As outras envolvidas foram liberadas, após prestarem depoimento ao Delegado de Plantão.

Deixe seu comentário