Policiais civis da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Cachoeiro de Itapemirim realizaram uma operação na manhã desta segunda-feira (07) e prenderam o falso médico R. C., 39 anos, no momento em que ele entregava medicamentos para uma cliente.

De acordo com as informações do delegado plantonista da 7ª Delegacia Regional, Carlos Vitor de Almeida Silva, a prisão de R. C. aconteceu após os policiais receberem denúncias de que ele estava exercendo ilegalmente a medicina. “Ele aplicava silicone industrial e botox, em travestis e em mulheres, e ainda vendia remédios manipulados para emagrecer, tudo de forma clandestina. Uma das ‘pacientes’, teria passado mal após tomar remédios prescritos por ele”, afirmou o delegado.

O responsável pela prisão do falso médico informou também que o carimbo que R. C. utilizava para validar as receitas é da sua ex mulher. “ Vamos investigar a procedência do carimbo. As investigações seguem para a gente averiguar se há alguma farmácia que está dando apoio para esse falso médico”, destacou o delegado que informou ainda que após a prisão, os policiais receberam outras denúncias.

As principais vítimas eram mulheres
As principais vítimas eram mulheres

O delegado contou que no momento da prisão, R. C. estava com uma maleta que continha um aparelho de aferir pressão arterial, frascos de remédios manipulados, luvas, cartões de banco e celulares. Já na casa do falso médico, localizada no bairro Jardim Itapemirim, funcionava um consultório clandestino com diversos equipamentos hospitalares, entre eles balança, macas, talões de receituários – entre eles controlados – , algodão, anestésico vencido, entre outros. Todo material foi apreendido e será analisado pela perícia.

O delegado plantonista informou que, em 2011, R. C. foi preso por exercício irregular da medicina em Itapemirim, e por falso sequestro e estelionato em Vitória, no ano de 2009.

R. C. foi autuado em flagrante por exercício ilegal da medicina e encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro de Itapemirim.

Deixe seu comentário