Dezessete atletas do boadyboarding, na categoria feminino, foram recebidas pelo governador Paulo Hartung, na tarde de quinta-feira (16), no Palácio Anchieta. As bodyboarders estavam disputando a terceira etapa do Campeonato Brasileiro, que aconteceu na Barra do Jucu, em Vila Velha, até domingo (19).

Capitaneadas por Neymara Carvalho, capixaba pentacampeã do Circuito Mundial e eneacampeã do Circuito Brasileiro, as atletas ouviram do governador que o Espírito Santo terá, em breve, um mecanismo que obriga todas as competições com apoio do Governo do Estado a igualar a premiação entre mulheres e homens.

As bodyboarders estavam disputando a terceira etapa do Campeonato Brasileiro, que aconteceu na Barra do Jucu, em Vila Velha, até domingo (19).

“Isso só foi possível por causa da luta que vocês iniciaram. Lutamos pela igualdade de gênero. Vamos trabalhar para que em eventos esportivos, onde houver recursos públicos, seja aplicada a igualdade nas premiações”, antecipou Paulo Hartung, que disse já ter acionado a Procuradoria Geral do Estado para encontrar uma solução definitiva.

O governador destacou, ainda, a importância do esporte na vida dos brasileiros e dos capixabas e lembrou o quão importante é a disciplina e o espírito de comprometimento que o esporte traz para a vida social.

“Pratiquei muito esporte coletivo na minha juventude. O esporte me ensinou muito, principalmente, na disciplina e no trabalho em equipe. Esporte coletivo ensina a formar time e passa valores que carregamos para o resto da vida”, comentou o governador Paulo Hartung.

O governador destacou, ainda, a importância do esporte na vida dos brasileiros e dos capixabas

Nicole Calheiros é do Rio de Janeiro e está na disputa pelo título da etapa capixaba do Campeonato Brasileiro. Ela revelou que a iniciativa do Espírito Santo já tem provocado mudança de comportamento em outros estados.

“Lutávamos há anos por esse reconhecimento. O que precisávamos era de alguém de pulso para liderar este movimento. A igualdade precisa estar no esporte e no dia a dia. Isso tem repercutido em todo o país e já está garantindo igualdade em premiação em outras etapas, como no meu estado, por exemplo”, disse Nicole.

Não só no Circuito Brasileiro, mas como no Circuito Mundial, a iniciativa do Espírito Santo em exigir a igualdade de premiação nas categorias masculina e feminina tem repercutido. Neymara Carvalho revelou que a decisão pesou no discurso usado pelas atletas de convencer a organização do Campeonato Mundial de nivelamento das premiações.

“A atitude do Governo do Estado, o inconformismo do governador e o diálogo do secretário com a Confederação foram fundamentais e eram o que precisávamos. Isso tudo tem repercutido entre os atletas, na organização do Circuito Brasileiro e Mundial. Há anos estamos lutando contra isso, mas agora ganhamos um importante interlocutor e apoiador”, descreveu Neymara.

Neymara Carvalho revelou que a decisão pesou no discurso usado pelas atletas de convencer a organização do Campeonato Mundial de nivelamento das premiações.

O secretário Marcelo Coelho disse que é um legado que o Espírito Santo deixa para o esporte. Iniciativa que faz o Estado sair na frente e chamar a atenção para a reflexão e a mudança de postura de organizadores.

“O Espírito Santo sai na frente e, neste momento, muda cenário e vira modelo para o país e para o Circuito Mundial. Recebi a missão do governador de dialogar com a Confederação e reaver esta situação e foram as atletas que saíram vitoriosas. Assim respeitamos a tradição do esporte capixaba que tem como símbolo nesta modalidade e, em tantas outras, uma mulher com as características do nosso povo, vencedora”, acrescentou o secretário.

Após a reunião, o governador Paulo Hartung conduziu as atletas por um tour na história do Palácio Anchieta e na exposição Alvorada, assinada pela capixaba Rosilene Luduvico, formada no Espírito Santo e reconhecida internacionalmente. Denominada “Alvorada”, a exposição tem um conjunto de 18 obras, sendo oito pinturas em grande formato, sete desenhos em dimensões menores, uma pintura mural de grande formato e uma obra produzida com sementes, que teve a participação de alunos da Escola Viva Pastor Oliveira de Araújo, de Cobilândia.

Deixe seu comentário