“Receber esses kits é muito legal e vai me ajudar muito. A faixa canguru me dá mais segurança para segurar meus filhos gêmeos e os deixa mais confortáveis. Eles estão até dormindo”, contou empolgada Erica Pereira da Silva, de 23 anos, cujos dois filhos recém-nascidos estão internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) do Hospital Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba)

Erica foi uma das 51 mães com filhos internados na Utin da unidade a receberem os kits de roupinhas para bebês doados pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) por meio dos projetos “Canguru Capixaba” e “Doar’Ação”, desenvolvidos pelo Centro Estadual de Educação Técnica (CEET) Vasco Coutinho. 

51 mães com filhos internados na Utin da unidade a receberem os kits de roupinhas para bebês doados pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti)

A doação aconteceu na manhã de quinta-feira (04). Outra mãe feliz com a entrega foi Milene Silva Barbosa, de 18 anos. A sua primeira filha também está na Unidade Canguru.

“A faixa canguru, além de ajudar a segurar minha bebê com mais comodidade, também ajuda no ganho de peso e no desenvolvimento dela, por ela ser prematura. A faixa faz ela achar que está dentro do útero ainda. Minha filha fica coladinha comigo o dia todo. Estou muito feliz por ter ganhado a faixa e kit completo, porque vou poder levar para minha casa”, falou Milene. 

A secretária da Secti, Cristina Engel, participou da doação e enfatizou a importância de projetos como este. “Nos projetos estamos trabalhando com os estudantes do CEET do curso de Modelagem. São eles que produzem os kits, que permitem o trabalho com o conceito sustentável, pois estão produzindo a partir de restos de tecidos que iriam para o lixo“, informou a secretária.

Cristina Engel também destacou o aspecto social do trabalho. “Nos dá muita alegria e emoção. Os projetos cumprem todo o ciclo do que consideramos um projeto ideal. Além disso, envolve muita gente. Governo do Estado, Himaba, instituições parceiras, todos de braços dados pelo mesmo objetivo”, comentou.

Os kits eram diferentes em cada projeto. No “Canguru Capixaba”, destinado às mães que tiveram bebês prematuros, o kit é composto por touca, par de luvas, camisola para a mãe e a faixa canguru, que amarrada ao corpo dos pais segura o bebê sem o apoio das mãos.

Já no kit “Doar’Ação”, além dos bebês prematuros, os que estão na maternidade e crianças da enfermaria também são beneficiados. Foi entregue bermuda e camisa para meninos e meninas de 02 a 16 anos, bolsa, dois conjuntos de pagão (calça, blusa de manga e body) e uma mantilha para bebês da maternidade.

A Diretora Técnica do Himaba, Patrícia Helena Simões, explicou a importância do projeto no hospital. “Nós vivemos um momento de muitas notícias ruins e pesadas e nós queremos proporcionar sempre, além de uma assistência melhor a cada dia, também a alegria. Nós podemos ver a felicidade dessas mães que recebem essas doações e também vemos todo o trabalho da equipe do método canguru sendo reconhecida, o que traz mais alergia para nós do Himaba”.

Ao todo, foram doados para o hospital cerca de 250 kits de cada projeto, o que totaliza mais de 500 kits confeccionados pelos alunos do curso de Modelagem do Vestuário. Os tecidos para a produção dos kits foram doados pelo Governo do Estado e empresas de confecção.

A iniciativa faz parte do Projeto de Pesquisa de Enriquecimento Curricular (PPEC) aplicado na escola técnica em diversos cursos. O PPEC é uma carga horária extra para os alunos que querem colocar em prática o aprendizado dos cursos.

O Método Canguru. A Utin do Himaba é composta por três unidades: de Alto Risco, Médio Risco e a Canguru, uma unidade de cuidados intermediários em que a mãe permanece 24 horas por dia com o filho internado sob a supervisão do hospital.

O nome canguru se dá por conta da posição em que o neném fica com a mãe. É como se a criança estivesse na bolsa do canguru, que no caso é representada pelo colo da mãe. A criança fica agarrada à mãe com a barriga de frente para o colo, encostado pele na pele da mãe. A posição ajuda no ganho de peso do neném, no aleitamento materno e vínculo afetivo da mãe com o filho

Deixe seu comentário