A greve dos servidores públicos de Guarapari que começou nesta sexta feira (6), foi considerada ilegal pela Prefeitura Municipal. O município alega que o sindicato deveria ter notificado a greve com 72h de antecedência, conforme a legislação.

Nota da Prefeitura de Guarapari.
Nota da Prefeitura de Guarapari.

No entanto, o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Direta e Indireta e do Poder Legislativo do Município de Guarapari (Sintrag) explica que a greve foi protocolizada na Prefeitura. “Nós protocolizamos sim a greve na data certa, assim como determina a legislação”, conta a presidente do sindicato, Rosimary Abud.

De acordo com a presidente, os servidores já estavam insatisfeitos com a administração, há algum tempo. Após o pequeno aumento concedido pela prefeitura neste ano, no valor de 6%, foi o suficiente para decretar uma greve. “A categoria não concordou com o aumento, e o Sintrag determinou greve. Mas esse servidores estão insatisfeitos com as condições de trabalho e a falta de respeito da chefia direta com o servidor”, explica Rosimary.

941479_383211548464245_497900729_n
Haverá manifestação na praça Philomeno José Ribeiro, em Muquiçaba.

Após a efetivação da greve, muitos profissionais aderiram o ato. Médicos, funcionários da área da saúde, auxiliares de serviço escolar e de serviços gerais concordaram com as situações. “A greve atendeu as expectativas, o numero de aceitação foi grande”, completa a presidente do sindicato, que ainda diz que a greve vai continuar, até que o sindicato seja citado, o que significa receber em mãos, decisão da justiça sobre a greve. Caso o sindicato não encerre a greve, a justiça estipulou multa diária de  10 mil reais.

mandato

E ainda nesta terça feira (10), o sindicato convoca os servidores públicos para uma manifestação que acontecerá na praça Philomeno Pereira Ribeiro, em Muquiçaba, às 16h. O Sintrag vai esclarecer assuntos referentes ao andamento da greve.