A Comissão de Processo de Escolha Unificada dos Conselhos Tutelares impugnou a eleição de conselheiros tutelares de Guarapari, que aconteceu durante este domingo (06). Mais de 3 mil munícipes votaram. O novo pleito foi marcado para o dia 10 de novembro.
Os responsáveis pela eleição esclareceram que a impugnação do processo de votação se deu pelo número excessivo de votos nulos. Foram 110 votos nulos. O cancelamento da eleição foi protocolado no Ministério Público na manhã de hoje.

Além disso, uma candidata, no ato da inscrição, não apresentou duas certidões que o Edital exige. No primeiro momento, a Comissão indeferiu o pedido da mesma, já que a candidata não apresentou certidões negativa da Justiça. Para ser conselheiro, a Lei exige que o candidato apresente as certidões, e a candidata não apresentou nem no ato da inscrição, nem no prazo recursal, sendo assim indeferida.

O cancelamento da eleição foi protocolado no Ministério Público na manhã de hoje.

A candidata indeferida entrou com mandado de segurança e o desembargador aceitou. O problema, segundo a Comissão, é que a liminar chegou tarde demais, e o Tribunal Regional Eleitoral não teve tempo hábil para incluir o nome da candidata na urna, e somente os nomes dos candidatos deferidos estavam aparecendo.

Diante da situação e o consentimento da candidata, a votação aconteceu em Cédula de Papel. A nova eleição foi marcada para o dia 10 de novembro, e acontecerá de 8h às 17h, nos mesmos locais de votação.

Votação. Ao todo, 19 urnas eletrônicas são distribuídas na cidade. Todos que votam no Centro votarão na escola Guarapari, todos que votam em Muquiçaba e adjacências votarão na escola Ana Rocha Lyra, os eleitores de Santa Rosa, Santa Mônica, Jabaraí e Perocão serão atendidos pela escola Marinalva Aragão e o Celita Bastos vai atender o pessoal de Una até o Pedágio, já a escola Lúcio Rocha de Almeida vai atender a região de Nova Guarapari, Meaípe, até a divisa de Anchieta.

A eleição, segundo Célia Cristina da Silva, atual presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e presidente da Comissão Eleitoral, é de grande importância para a cidade.

“Essa eleição tem grande importância por se tratar de conselheiros tutelares que atuam diretamente na promoção da proteção da criança e do adolescente, fazendo acompanhamento com as escolas, com as comunidades, agentes de saúde, com os Cras, com os Creas, eles têm uma atuação bem ampla e a gente precisa legitimar essa eleição e votar no domingo”, esclareceu a presidente da Comissão Eleitoral.

Qualquer pessoa em dia com a Justiça Eleitoral e que a zona eleitoral seja na região pode votar, munido de documento com foto. O eleitor poderá votar em um candidato apenas.