O verão em Guarapari foi marcado por praias lotadas de banhistas. A prefeitura estima que só no período de carnaval a cidade recebeu cerca de 400 mil turistas. No entanto, mesmo recebendo tantas pessoas, os guarda-vidas conseguiram manter a segurança dos banhistas nas praias. O gerente de salvamento marítimo, Thiago Dutra, fala que os registros de ocorrências foram menores do que o esperado.

Na praia do Morro os turistas disputaram espaço na areia.

“Para um verão de praias cheias tivemos até uma temporada tranquila. Até o final de janeiro, que é o ultimo registro fechado, tivemos cerca de 160 ocorrências de resgate de princípio de afogamento. Para se ter uma ideia, em abril, que fora da alta temporada, tivemos 250”, comenta Thiago.

Há o registro de somente de um  óbito em todo período. Em Janeiro, um turista de 91 anos foi encontrado morto na Praia do Morro. “Esta morte possivelmente não aconteceu por afogamento, o senhor estava com roupas de quem se exercitava e parece ter tido um mal súbito. Mas o IML constatou a causa morte como asfixia”, comenta.

Crianças perdidas

Thiago conta que de todos os atendimentos, os mais recorrentes foram os de crianças perdidas na praia. “Todos os dias cerca de 30 crianças, a maioria entre 3 e 10 anos, foram perdidas na praia. A atenção com elas tem que ser redobrada em época de praias cheias. Mas nossa equipe conseguiu encontrar os pais de todas elas”, fala.

Para Thiago, a prática das palmas são eficazes para praias menores, como a Praia da Areia Preta

Palmas. Ultimamente uma prática dos banhistas para ajudar a localizar crianças tem chamado atenção nas praias. Por onde passa uma criança perdida, as pessoas batem palmas para que os pais ouçam e consigam localizá-la. Thiago comenta que essa prática pode não ser eficaz em caso de praias extensas.

“No caso da Praia do Morro as palmas podem não ajudar, por que ela é muito grande, e normalmente as crianças são encontradas há quilômetros longe dos pais. E ao mesmo tampo são perdidas umas 3 crianças, e isso pode causar uma confusão nos que procuram. Mas em praias pequenas , como Castanheiras, Areia Preta e  Bacutia essa é uma prática válida”, diz.

Contingente reforçado

Para o período foram contratados mais 20 salva-vidas, somando 86 profissionais que fazem a segurança dos banhistas nas praias de Guarapari. Thiago atribui a tranquilidade deste verão ao empenho dos guarda-vidas. “Nossa equipe estava bem treinada e muita atenta. Fizemos um trabalho preventivo. Os banhistas estavam respeitando as orientações passadas e o mar também não esteve tão agitado. Todos esses aspectos contribuíram para o verão seguro nas praias da cidade”, ressalta.

Deixe seu comentário