Para tentar evitar o corte de duas castanheiras, localizadas no final da orla da Praia do Morro, um grupo de idosos que fazem ginástica no local está fazendo um abaixo-assinado. As árvores serão retiradas para a construção do Centro Turístico e Cultural, que vai abrigar um posto da Polícia Ambiental, a sede da 1º Cia da Polícia Militar, a Central de Videomonitoramento e as secretarias de Meio Ambiente e Agricultura (Semag) e de Turismo.

Segundo o projeto da prefeitura, as castanheiras serão retiradas para a construção do Centro Turístico e Cultural. Foto: Rafaela Patrício

Uma das idosas do grupo, a aposentada Ornília Alves de Souza,  de 63 anos, explicou que os idosos não são contra as melhorias que a prefeitura pretende fazer, mas sim contra o corte das árvores. Por isso, estão realizando o abaixo assinado na esperança de reverter a situação. “Deve haver um projetista capaz que faça isso sem precisar arrancar as castanheiras e enquanto isso estamos correndo atrás para impedir que elas sejam retiradas”, disse Ornília.

Ela afirmou que as castanheiras são importantes para o bem-estar dos moradores. “Elas são importantes por causa da sombra que oferecem e precisamos de árvores. Na Praia do Morro, principalmente no final, cortaram quase todas. Aquele canto os idosos adoram. Tanto a gente como as crianças que não aguentam pegar sol quando vão à praia ficam curtindo aquele cantinho e apreciando o resto da vida que tem para viver. Acho um absurdo eles fazerem isso”.

Segundo Ornília, quem tiver interesse em assinar o abaixo-assinado pode procurar a vendedora ambulante Neide e no bar do Carlinhos, ambos no final da praia. As assinaturas serão recolhidas até a próxima semana e em seguida o documento será entregue na prefeitura.

O Portal 27 procurou a prefeitura para saber seu posicionamento sobre a iniciativa e se seria possível realizar o projeto sem cortar as castanheiras, mas até o fechamento desta edição não recebeu o retorno destes questionamentos. 

Lançamento.  Durante a ordem de serviço para a construção do Centro Turístico e Cultural, realizado no começo de fevereiro a a secretária do meio ambiente, Tereza Cristina, havia afirmado que “A gente sabe que a Castanheira é um espécie danosa. Até o nosso coordenador biólogo do parque explicou que os morcegos levam a amêndoa da castanha para o Morro da Pescaria, e a depositam em solo fértil, fazendo que ela cresça em locais que ninguém plantou ela lá, foi levada por morcegos. E ela é danosa, impede que outras espécies se desenvolvam. Inclusive no plano de manejo do parque vão ser retiradas 7 castanheiras de lá de dentro. Mas serão plantadas outras espécies no local”, afirmou à época. 

Deixe seu comentário

Comments are closed.