Uma construção que fica em área privilegiada, há poucos metros do Centro da cidade. Seria uma ótima apresentação para a venda do imóvel, mas para quem passa a pé na ponte de Guarapari, o que se vê é apenas sujeira, mato e usuários de drogas.

Estamos falando do imóvel onde funcionava o escritório da Escelsa, na Ilha das Gaivotas, a meio caminho do Centro de Guarapari. A empresa já não usa mais as acomodações e o lugar está abandonado há vários anos.

O imóvel está abandonado há vários anos. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O imóvel está abandonado há vários anos. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Com o abandono, o lugar foi tomado pelo mato e mesmo depois de fecharem todas as entradas com lajotas, moradores de rua abriram um buraco em uma das paredes e passaram a viver no lugar, que também é usado para o consumo de drogas e prostituição.

O mato tomou conta do pátio e serve de esconderijo. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O mato tomou conta do pátio e serve de esconderijo. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“Passar durante a noite ali me dá medo. O lugar é escuro e sempre tem gente circulando na área interna do imóvel. Eu mesmo já vi gente usando crack na frente de várias outras pessoas. Eles nem se importam em se esconder”, reclamou a vendedora Aline Aragão Silveira, que mora em Muquiçaba, mas trabalha no Centro e passa todos os dias pelo local.

A EDP Escelsa informou que o imóvel não pertence à empresa e que não tem responsabilidade nenhuma sobre o mesmo. Já a Prefeitura de Guarapari informou que  que devido ao alto custo da efetivação da desapropriação, o imóvel foi retirado do projeto de Revitalização do Canal.

Uma parede foi quebrada para permitir a entada de pessoas no local. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Uma parede foi quebrada para permitir a entada de pessoas no local. Foto: João Thomazelli/Portal 27

“Em relação à segurança no local, a denúncia será encaminhada ao Gabinete de Gestão Integrada Municipal que conta com a participação do Judiciário, Policia Civil, Policia Militar, Corpo de Bombeiros e Secretarias Municipais”, explicou a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Guarapari.

Deixe seu comentário