Os riscos causados pela automedicação e pelo uso indiscriminado de medicamentos foram lembrados, na última quarta-feira (05), com o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos. A data foi escolhida para alertar a população e lembrar os danos para a saúde, como reações indesejadas, agravamento de doenças e intoxicações graves.

Com a chegada do novo Coronavírus (Covid-19), houve um aumento significativo no uso de medicamentos sem eficácia comprovada para a prevenção ou no combate à doença. Muitas pessoas estão fazendo uso de medicamentos, sem embasamento científico, clínico e epidemiológico que sustente a eficácia ou o benefício do chamado tratamento precoce contra a Covid-19. Com exceção das vacinas anticovídicas, que teve o uso emergencial autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), até o momento, as evidências científicas são de que não há medicamento que evite que pessoas fiquem doentes ao serem infectadas pelo novo Coronavírus.

Muitas pessoas estão fazendo uso de medicamentos, sem embasamento científico, clínico e epidemiológico

De acordo com a gerente Estadual de Assistência Farmacêutica (Geaf), Maria José Sartório, em tempos de pandemia surge uma preocupação ainda maior com a automedicação, pois o uso irracional de medicamentos pode desencadear diversos problemas de saúde, como intoxicações medicamentosas, reações alérgicas e até mesmo resistência bacteriana.

No Espírito Santo, conforme o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox-ES) da Secretaria da Saúde (Sesa), os medicamentos ocupam o segundo lugar nos registros de exposição/intoxicação. Os acidentes com medicamentos são mais comuns em crianças, principalmente na faixa etária de um a quatro anos de idade. No ano de 2020, 80% dos acidentes por medicamentos foram registrados em crianças até nove anos de idade, sendo 13,4%, especificamente, relacionados ao momento da sua administração.

De acordo com a chefe do Núcleo de Prevenção e Atenção às Intoxicações da Sesa, Joanina Bicalho Valli, no CIATox-ES, para evitar casos de automedicação e intoxicação, “uma das orientações é manter os medicamentos guardados em local seguro, fora do alcance de crianças, como em armários trancados. Jamais guardar medicamentos vencidos também é um dos cuidados que devem ser adotados”, disse.

Medicamentos e saúde:

– Segurança no uso: caso se sinta mal ou suspeite de Reações Adversas a Medicamentos, procure auxílio de um médico, farmacêutico ou da equipe de saúde;

– Evitar a automedicação: utilizar medicamentos por conta própria ou sem indicação de um profissional de saúde pode ser perigoso;

– Utilização correta: use seus medicamentos na dose prescrita, nos horários corretos, pelo tempo indicado e da forma adequada;

– Descarte e armazenamento adequado: descarte os medicamentos em coletores próprios. Não utilize remédios vencidos e evite guardar em lugares quentes e úmidos;

– Esclareça suas dúvidas: não fique com dúvidas sobre como utilizar seus medicamentos. Procure sempre ajuda do médico, do farmacêutico ou da equipe de saúde.

Para evitar erros de administração do medicamento, é importante seguir cinco passos, clique aqui e confira.

Serviço:

Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox-ES)

Atendimento telefônico: 0800 283 9904

Deixe seu comentário