Jovens e adolescentes capixabas com sorologia positiva para o vírus da Aids se reúnem neste sábado (19) e domingo (20), no município da Serra, para debater sobre a doença, a importância da adesão ao tratamento com antirretrovirais para a melhoria da qualidade de vida, além de questões voltadas a direitos à saúde sexual e reprodutiva.

O III Encontro Estadual de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/AIDS será realizado no Hotel Praia Sol, em Nova Almeida. O evento é organizado por representantes do Espírito Santo na Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids (RNAVHA), uma organização não-governamental formada por adolescentes e jovens do País, entre 15 e 29 anos, que convivem com o vírus ou que já desenvolveram a doença.

1119
Evento será realizado no Hotel Praia Sol, em Nova Almeida na Serra.

Além de cerca de 60 jovens capixabas, o evento terá a participação também de representantes da Rede de outros estados, dentro da proposta de ampliar o debate e a troca de experiências sobre adesão ao tratamento. Do Rio de Janeiro virá Rafaela Queiroz, do Nordeste, Jadilson Silva, e do Fórum de ONGs de São Paulo, Rodrigo Pinheiro.

A organização busca a inclusão social e o fortalecimento biopsicossocial desses jovens para o enfrentamento da epidemia da Aids, por meio da disseminação da informação, troca de experiências e participação cidadã. O objetivo é gerar ações que contribuam para dar maior consciência sobre a importância da prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis, além de incentivar a realização do teste e viabilizar o tratamento precoce.

aids
Além de cerca de 60 jovens capixabas, o evento terá a participação também de representantes da Rede de outros estados.

“No Brasil, percebemos que a cada ano vem aumentando o número de casos de Aids na população jovem. Muitos jovens e adolescentes não se preocupam em usar preservativo nas relações sexuais, um dos principais meios de transmissão do vírus HIV”, observa a coordenadora do Programa Estadual de DST/Aids, Sandra Fagundes. Para ela, o encontro é uma oportunidade para alertá-los sobre a importância da prevenção e também um momento propício para mobilizar jovens vivendo com Aids para aderirem ao tratamento por meio de medicamentos antirretrovirais.

Câmara técnica. Nesta sexta-feira (18), a Câmara Técnica Estadual de DST/Aids/Hepatites Virais se reúne a partir das 13 horas, no auditório do Lacen, na Sesa Beira-mar. Em pauta, ações locais sobre o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, celebrado no próximo dia 28; informes sobre medicamentos antirretrovirais; retorno do procedimento de preenchimento facial na Santa Casa de Misericórdia para pacientes de Aids que fazem uso desses medicamentos, que provocam alterações anatômicas; e ainda sobre a obrigatoriedade de notificação de todos os casos de infecção pelo vírus HIV.

Aids em números no ES

– Aproximadamente 4.911 pessoas vivendo com Aids recebem, atualmente, medicamentos antirretrovirais no Espírito Santo e fazem acompanhamento nos 22 Serviços de Atendimento Especializado (SAEs) distribuídos no Estado.

– A epidemia de Aids no ES é considerada estável. No ano de 2000 existiam 16,8 pessoas com Aids para cada 100 mil habitantes. Em 2012, essa taxa permaneceu em 16,6 por 100 mil habitantes, apresentando uma média de 530 casos por ano no período.

1358272367886AIDS-11– No período de 1985 a 2012 foram notificados 9.101 casos no Estado, sendo a maioria do sexo masculino: 5.714 (62,8%). Entre as mulheres, o número chegou a 3.387 (37,2%).

– A maioria dos casos foi devido à transmissão sexual (66,4%), com tendência de aumento de casos entre homens que fazem sexo com homens (HSH). Em 2002, 15% entre os casos nesta categoria era na população HSH, percentual que aumentou para 23,9% em 2012. Neste grupo, houve aumento na faixa etária de 15 a 24 anos, que subiu de 9%, em 2002, para 12% dos casos em 2012 (33% de aumento).

Fonte: Governo do Estado – Sesa

Deixe seu comentário