A situação política de Itapemirim no sul do Estado continua tensa. O prefeito Thiago Peçanha (PSDB) havia sido afastado por 60 dias do cargo em sessão extraordinária realizada na sexta-feira (24).   

Mandado. Mas na manhã desta segunda-feira (27), o Juiz da 1ª Vara de Itapemirim, Leonardo Augusto de Oliveira Rangel, acatou um mandado de segurança impetrado pelo prefeito para que ele continuasse no cargo. A decisão saiu na manhã de hoje.

“Que sejam suspensos os efeitos do Decreto Legislativo Municipal nº 539, de 24 de maio de 2019, bem como assegurar, por consequência, a recondução imediata do prefeito afastado Thiago Peçanha”, determinou o Juiz.

Prefeito Thiago Peçanha (PSDB) havia sido afastado por 60 dias do cargo em sessão extraordinária realizada na sexta-feira (24).   

O novo prefeito com o afastamento de Thiago seria o presidente da Câmara, Mariel Delfino Amaro (PCdoB).  O clima na cidade era tenso e a Câmara acionou a Polícia Militar para que o presidente do Legislativo, pudesse entrar nas dependências da prefeitura nesta segunda e assumir os trabalhos no Executivo.

Com a decisão judicial, o presidente da Câmara não pode começar a trabalhar. Agora, a Câmara pode recorrer da decisão do Juiz, pois é uma decisão de primeira instância e cabe recurso.

CPI. O afastamento do prefeito aconteceu após a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Consórcio Intermunicipal de Saúde, que aconteceu na terça (21). O placar foi de 6 a 5, o presidente da Câmara votou para desempatar. O decreto com a decisão, já publicado no diário oficial no site da com o objetivo de garantir “isenta e respectiva instrução processual (verdade real dos fatos).

Deixe seu comentário

Comments are closed.