Em datas comemorativas os comerciantes procuram investir ainda mais na exposição de seus produtos. Pensando em chamar a atenção dos clientes a loja de material de construção Ribeiro e Pádua caprichou na vitrine do Dia dos Pais, mas acabou virando alvo da ação de bandidos. Ela foi arrombada e furtada por volta das quatro horas da manhã deste domingo (12).

No canto esquerdo da imagem é possível ver o Uno estacionado na contramão enquanto o homem furta os produtos.

Uma das sócias, Márcia Pádua Ribeiro, contou que foram levados diversos produtos como furadeira, parafusadeira, serra mármore e esmerilhadeira. Somando o conserto da vitrine com os valores das máquinas levadas a loja teve um prejuízo de aproximadamente R$ 1.530,00.

Márcia afirmou que que o veículo usado para cometer o crime foi o mesmo usado para furtar o estabelecimento na mesma época no ano passado. “Parou um carro aqui e esse carro já esteve fazendo furto aqui no ano passado na mesma época. Nesse período de Dia dos Pais a gente costuma colocar máquinas furadeiras e essas coisas que tem um valor agregado maior e o mesmo carro, um Uno grafite, parou na calçada, quebrou a vitrine e eles levaram o que deu tempo de levar. No ano passado foi da mesma forma, mas eles levaram mais coisas”.

A ação foi flagrada por câmeras de videomonitoramento e pelas imagens é possível ver que os criminosos estacionaram na contramão e em cima da calçada, pegaram tudo que conseguiram e fugiram. 

Após a ação dos bandidos, a vitrine ficou completamente destruída e sem nenhum produto. Foto: Rafaela Patrício

Ela explicou que a loja estava passando por uma reforma e por isso, o alarme estava desligado. “O pintor ficou no sábado até mais tarde pintando a loja e se a gente acionasse o alarme, não iria dar para ele fazer a pintura. Ele saiu e a gente esqueceu de acionar o alarme. Eles tiveram sorte nesse ponto porque quebraram a vitrine e só depois de um tempo que os vizinhos viram e chamaram a polícia, mas eles ainda conseguiram levar algumas máquinas”.

“A gente trabalha para caramba para se manter e se sente invadido, desrespeitado. É muito frustrante você ter que trabalhar e viver nessa condição de sobressalto porque a qualquer momento estamos sujeitos a isso. É desgastante porque a gente recolhe todos os impostos que são exigidos e procura fazer tudo correto e tem essas pessoas que fazem isso. A sensação que dá é que eles ficam vigiando o momento em que a gente abre a guarda para pegar e atacar”, desabafou Márcia.

A sócia da loja também reclamou da impunidade. “Não existe punição. Sofremos um furto há um tempo atrás e temos imagens da pessoa, mas a gente tem até receio de divulgar essa imagem porque a gente sabe que muitas vezes a pessoa é presa e no outro dia está solta porque a lei no Brasil permite isso”.  

Segurança. Ela relatou ainda que está estudando novas medidas para aumentar a segurança da loja. “A gente está pensando em refazer a fachada da loja, de repente tirar a vitrine ou fazer de uma outra forma e colocar grade. Fica feio, é horrível a gente se sente preso. Não é nada atrativo você olhar para uma vitrine com grades, mas a gente tem que fazer alguma coisa para termos mais segurança porque a gente não tem isso na cidade”.

Veja o vídeo do momento do arrombamento e furto da loja:

Deixe seu comentário

Comments are closed.