Na semana passada a família do Sr. Leozão, o Papai Noel que fez a alegria da criançada da região norte de Guarapari por quase 40 anos, resolveu abrir uma conta no site vakinha.com com o objetivo de arrecadar fundos para a comprar dos presentes que serão entregues no natal para as crianças carentes. A campanha tem dado tão certo que em menos de uma semana eles já conseguiram arrecadar quase R$ 4 mil reais.

papai noel
A campanha tem dado tão certo que em menos de uma semana eles já conseguiram arrecadar quase R$ 4 mil reais.

A ideia segundo os familiares é arrecadar um total de 15 mil reais para a compra de mil brinquedos. “Nós estamos tentando arrecadar o valor que dê para contemplar as crianças da região. Nossa meta é contemplar cerca de 1000 crianças, mas não sabemos se chegaremos lá. Por isso, além da doação em dinheiro, aceitamos outros tipo de doação como balas, chocolates e até brinquedos”, explica a neta Luana Carvalho. Pela internet, a doação pode ser feita através do site e cada um escolhe o valor a ser doado.

O projeto ficou interrompido por cinco anos porque o Papai Noel original ficou impossibilitado de entregar os presentes. Sr. José Leonardo Carvalho – o Leozão, sofreu um desgaste na cartilagem e precisou colocar uma prótese na perna esquerda. O bom velhinho ainda sofreu três AVC’s e o médico recomendou que ele parasse.

Início. Tudo começou na década de 70, quando Sr. José Leonardo Carvalho resolveu colocar no muro de sua casa os brinquedos que seus filhos já não usavam mais. As crianças do bairro Perocão começaram a pegar os presentes.

Feliz com o resultado e com um coração que não cabia em si, Sr. Leonardo resolveu virar Papai Noel e decidiu que todos os anos faria doação de brinquedos no Natal. Durante o ano ele comprava os brinquedos. No mês de dezembro ele reunia a família para embalar os presentes e as balas.

natal em perocão
Os moradores esperavam o caminhão do Papai Noel estacionar na pracinha do bairro Perocão.

Foi assim durante 32 anos. Os familiares que o ajudavam sabia que ele era metódico e que o pirulito tinha sempre que estar deitado para o palito não furar o saquinho. Ele fica nervoso e ansioso. Mas fazia tudo com muito amor.

Em 21 de fevereiro deste ano, aos 81 anos de idade, o bom velhido do bairro Perocão faleceu. Neste natal são os filhos e netos que retomam o projeto. “Em nome de tudo que ele fez, nós resolvemos retomar o projeto dele. E aqui estamos, contando com a ajuda de vocês pois temos pouco tempo para deixarmos o natal de muitas crianças mais alegre”, enfatiza a neta.