A onda de violência que tomou conta de alguns bairros de Guarapari no mês de março está deixando muita gente preocupada. Até hoje (30), oito pessoas foram mortas por armas de fogo na cidade. Destas mortes, quatro foram no Bairro Jabaraí, na Região Norte da cidade.

O último homicídio ocorreu no sábado, encerrando uma semana com outras duas mortes, todas em Jabaraí. Um destes homicídios foi de um adolescente de apenas 14 anos. O outro foi de um jovem de 18 anos, Bruno dos Anjos de Oliveira, morador do Bairro Aeroporto, que foi sequestrado enquanto esperava a namorada sair da escola. Ele foi forçado a entrar em um carro e foi assassinado na estrada que liga Jabaraí à BR-101.

 

Bruno foi sequestrado no Bairro Aeroporto e morto na Estrada que liga Jabaraí à BR-101.
Bruno foi sequestrado no Bairro Aeroporto e morto na Estrada que liga Jabaraí à BR-101.

Nestes dois casos, as vítimas tinham envolvimento com o tráfico de drogas. Nos dias seguintes à morte de Bruno, dois tiroteios foram registrados no Bairro Aeroporto, numa tentativa de represália contra a morte de Bruno. Nos dois casos, não há registro de feridos ou mortos. No dia seguinte à Morte de Bruno, um jovem foi preso acusado de participação no crime, mas ele não confessou e disse à polícia que só vai falar em Juízo.

Enquanto os grupos se enfrentam nas ruas do Bairro Aeroporto, a população está apreensiva, muitos com medo de sair de casa. “A gente fica sem saber o que fazer. Podemos estar andando na rua e ser morto por

uma bala perdida. Eles não escolhem nem hora nem lugar. Quando veem o desafeto, começam a atirar”, contou uma moradora do Bairro Aeroporto, que por medo de represálias, não quis se identificar.

O adolescente tinha 14anos e foi solto na semana passada depois de cometer um assalto. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O adolescente tinha 14 anos e foi a segunda vítima de homicídio no Bairro Jabaraí no mês de março. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Em Jabaraí, o clima de apreensão não é diferente entre os moradores. Para Luciana Gonçalves, presidente da Associação de Moradores do bairro, o problema esta na falta de conscientização dos jovens.

“Na minha opinião, esta onde de rimes que está acontecendo tem relação direta com as drogas e os roubos. Tá muito difícil, o desemprego está alto. Acredito que a polícia tem que fazer uma prevenção maior nas escolas. Para passar para estes adolescentes o mal que é o uso das drogas, das armas. Temos que mostrar para os nosso jovens que existem três caminhos: Um é o CDP, outro é o caixão ou se tornar um homem de bem. Acredito que a população, a sociedade não está empenhada em fazer isso”, finalizou.

A reportagem do Portal 27 entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social na segunda-feira (30) para saber se o Estado teria algum plano para conter a onde de homicídios em Guarapari, mas até a publicação desta reportagem às 18h30 de hoje (31), nenhuma resposta foi dada.

 

Deixe seu comentário